16 momentos do governo Eduardo Paes – do pior ao melhor

Após 8 anos de governo o Rio deixará de ser governado por Eduardo Paes (PMDB), você pode gostar ou não gostar de Paes mas sem dúvida ele deixou sua marca na cidade. Do BRT ao Boulevard Olímpico, é certo que ele ficará para a história do Rio.

Mas nem tudo foram flores, a gestão de Paes é cercada de péssimos momentos, como a queda da ciclovia e a péssima relação com o funcionalismo público. Por isso o DDR separou 13 16 momentos do governo Eduardo Paes, do pior ao melhor, o que faltou incluir na lista?

16 – Queda Ciclovia

Em 21 de abril de 2016, a poucas semanas da abertura dos Jogos Olímpicos, um dos chamados “legados olímpicos”, a ciclovia Tim Maia que ligava o Leblon ao São Conrado pela Niemeyer, caiu e causou a morte de duas pessoas. A situação piorou quando se descobriu que a empreiteira responsável pela obra era da família de um dos secretários de seu governo.

15 – Candidatura de Pedro Paulo

Eduardo Paes tinha tudo para fazer seu sucessor, um governo razoavelmente bem avaliado, apoio do governo Federal e Estadual, aliança com vários partidos e um latifúndio de tempo de Tv. O importante é que não fizesse besteira na escolha do nome do candidato.

Pois ele fez besteira e escolheu seu amigo e maior aliado, Pedro Paulo (PMDB), o que não teria nenhum problema, a não ser uma série de denúncias de violência doméstica contra ele. As denúncias feriram sua candidatura de morte e terminou em 3º, nem indo para o 2º turno.

14 – Não entregar 100% da frota de ônibus com ar condicionado

Apesar de uma série de acordos e promessas de 100% da frota de ônibus com ar condicionado no fim de 2016, a Prefeitura utilizou várias desculpas em defesa das concessionárias. Pois é, os cariocas continuarão sofrendo com o calor nos ônibus cariocas na próxima gestão.

13 – Maricá é uma merda de lugar


Após a condução coercitiva de Lula devido a desdobramentos da Operação Lava Jato, Eduardo Paes ligou para Lula para prestar sua solidariedade. No áudio que vazou, o telefone de Lula estava grampeado, Paes compara o sítio de Lula em Atibaia, a ter uma casa de praia em Maricá, pois os dois lugares são uma merda.

No áudio, Paes também diz ser um “soldado de Lula”, alguns meses depois todos seus aliados votariam pelo impeachment de Dilma.

12 – O Roubo das Vigas da Perimetral

Logo após a demolição da Perimetral, em 2013, cinco vigas da perimetral, com 40 metros de comprimento, 60 de largura e cerca de 20 toneladas, foram retiradas de um terreno cedido à Prefeitura do Rio e, até hoje, as autoridades não identificaram os responsáveis pelo crime.

11 – Defesa do Táxi contra o Uber

Eduardo Paes insistiu em defender os táxis, indo contra aplicativos como o Uber, tirando do carioca, a maioria favorável ao app, a livre escolha.

10 – As gracinhas de Eduardo Paes

Eduardo Paes gostava de fazer gracinhas, como com uma cidadã que ele visitou a casa que ela tinha acabado de adquirir e disse que ela iria “trepar muito“. E não foi só ali, em julho de 2016 ele começou a discutir com seguidores de seu twitter, mandou um se mudar do Rio e “Deixa de ser mal humorado po. Toma um chopp, joga uma pelada, dorme cedo, vai a igreja, dá uma namorada. Domingo pode”,

9 – O  VLT

O VLT está longe de ser o pior momento de Eduardo Paes, também não foi o melhor, mas ficará como marca de seu governo. Se virou quase um ponto turístico da cidade e facilitou o transporte ao integrar os modais, por outro lado, não há integração tarifária, se pegar o VLT e o metrô se gasta R$7,90. Também há críticas pelo alto investimento e o pouco número de pessoas que carrega.

8 – 1746

O 1746 facilitou o acesso dos cariocas aos serviços públicos. Algumas vezes o serviço demora a ser realizado ou surgem obstáculos na hora de resolver o problema, mas o 1746 é um canal importante onde o cidadão pode fazer solicitações e ter contato com a Prefeitura.

O porém dele é que nem sempre funciona como deveria.

7 – BRS

O Bus Rapid Service, em português Serviço Rápido de ônibus, pode gerar o ódio de muito motorista de carro mas para o passageiro de ônibus foi uma boa solução. O serviço é basicamente destinar faixas exclusivas para os ônibus e começou a funcionar na cidade em 2011, gerando até hoje uma certa confusão entre os cariocas.

Mas para este morador da Freguesia, deixou o Centro do Rio muito mais próximo. Seria muito melhor se a Prefeitura tivesse cumprido a promessa de 100% da frota de ônibus com Ar-Condicionado.

6 – O BRT

O BRT, cuja operação começou em junho de 2012, acabou sendo uma bela mão na roda para quem depende dele, gerando um ganho importante de tempo para o trabalhador. Só que isso não salva ele de sérios problemas, como viver lotado e, para alguns, seria um investimento muito melhor se fosse um modal sobre trilhos.

5 – Centro de Operações Rio

Inaugurado no último dia de 2010, o Centro de Operações Rio, o COR. integra cerca de 30 órgãos municipais e concessionárias com o objetivo de monitorar e otimizar o funcionamento da cidade. Virou um verdadeiro QG da Prefeitura, ajudando a antecipar crises, tornando o Rio uma cidade mais inteligente.

4 – Transolímpica e Transoeste

A Transolímpica, oficialmente Corredor Presidente Tancredo Neves, a via expressa liga o Recreio a Deodoro, inaugurada em 9 de janeiro, acabou tendo o impacto na vida dos moradores do seu entorno, próximo ao da inauguração da Linha Amarela. Especialmente no ganho de tempo de quem mora em Deodoro e vizinhança e trabalha na Barra. O grande porém é a cobrança do pedágio, considerada por muitos ilegal.
A Transoeste, inaugurada em 2012, ligando o Recreio ao Campo Grande, também teve um grande impacto  positivo na vida de quem depende dela.

3 – Rio 2016

Claro que Paes não é o único responsável por trazer as Olimpíadas do Rio, mas seria injusto não dar os devidos méritos do sucesso dos Jogos a Paes. Até o último dia, antes da abertura, a maioria acreditava que a Rio 2016 seria um grande e retumbante fracasso e mostrou ser o contrário. Durante aquelas duas semanas o Rio respirou felicidade. Quanto aos problemas pós jogos, mais por culpa do estado do que da Prefeitura.

2 – Parque Madureira

Inaugurado ainda no final do primeiro mandato de Eduardo Paes, em 2012, com uma ampliação em 2015, o Parque Madureira valorizou o bairro do qual leva o nome. Com suas quadras esportivas, incluindo bocha e skate, ciclovias bosque, riacho, uma lan house pública e a Praça do Samba com o símbolo da Portela e do Império Serrano, o Parque Madureira tem 450 mil m².

Pode não ser, ainda, um ponto turístico como o Boulevard Olímpico mas o Parque Madureira é, sem dúvida, um dos melhores momentos da Prefeitura de Paes.

1 – O Boulevard Olímpico

Deixa eu ser claro, o que chamo de Boulevard Olímpico são todos os equipamentos que estão no local que foi realizado a grande Fan Fest na Rio 2016. Indo da Praça XV sem a Perimetral até os galpões modernizados do porto, incluindo o belo mural do Kobra, passando pelo AquaRio, o Museu do Amanhã, o MAR e tantas outras obras que criaram um novo ponto turístico na cidade.

Só por esse conjunto de obras, mesmo contra forte críticas (o DDR fez várias contra a derrubada da Perimetral e na época recusei um patrocínio de uma matéria que era a favor da derrubada), Paes mudou a cara do Centro do Rio. E com a construção dos equipamentos, seja de forma direta ou a partir de fomentos, ele garantiu apenas ali que seu nome figurasse entre os grandes prefeitos do Rio, junto com Pereira Passos, Carlos Lacerda e Cesar Maia.

No final, o saldo de sua gestão é positivo. Esperamos que agora com Crivella, resolva-se os problemas que Paes criou mas mantenha o bom trabalho.

Deixe seu comentário

Quintino Gomes Freire8866 Posts

Diretor de mídias sociais na Agência B5, palestrante, publicitário, Defensor do Carioca Way of Life e Embaixador do Rio. Começou o Diário do Rio em 2007 e está a frente dele até hoje o levando ser um dos principais portais sobre o Rio de Janeiro.

0 Comentários

Deixar um comentário

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password