Breve história do Bairro do Caju que já foi o bairro da Corte Real Portuguesa

Caju visto de cima

Localizado em uma das áreas mais antigas da cidade do Rio de Janeiro, o bairro do Caju possui um passado de riquezas naturais e materiais.

Antes da chegada da Família Real ao Brasil, a região onde hoje fica o bairro do Caju era habitada pelo rico comerciante José Gouveia Freire, também de origem portuguesa.


Com mais de meio século de tradição no mercado imobiliário da Cidade do Rio de Janeiro, a Sergio Castro Imóveis apoia construções e iniciativas que visam o crescimento da Cidade Maravilhosa sem que as características mais simbólicas do Rio se percam.

Com a chegada da Família Real Portuguesa ao Rio de Janeiro, a área onde hoje fica o Caju, que antes era extremamente rural e com muitas riquezas naturais, passou por um processo de urbanização. Boa parte dos 18 mil portugueses (a maioria deles nobres) que chegaram com a Corte ao Brasil se abrigaram no atual bairro.

O próprio João VI passou a se um assíduo frequentador do que viria a ser o bairro do Caju. Era lá que ficava sua casa de banho, onde hoje é o Museu da Comlurb.

praia do Caju

Dom João, inclusive, foi um dos precursores do banho de mar na cidade do Rio de Janeiro. A prática não era muito comum na época. No caso de João VI, o motivo foi de saúde. Um médico recomendou a água salgada da praia do Caju para ajudar na cicatrização de feridas que o nobre português tinha em algumas partes do corpo.

Dom João criou moda. A região tornou-se a primeira área de banho de mar do Rio de Janeiro. Toda a Família Real, ao longos dos anos, passou a se banhar na extinta Praia do Caju”, destaca o pesquisador Luciano Vieira.

Antes desta verdadeira invasão Real, a área onde hoje fica o bairro do Caju era de muitas belezas naturais.

Era uma região belíssima, de praias com areias branquinhas e água cristalina, onde não era rara a visão do fundo da Baía, tendo como habitantes comuns os camarões, cavalos-marinhos, sardinhas, e até mesmo baleias”, escreveu o cronista C. J. Dunlop.

A Praia do Caju passava por toda a extensão da Rua Monsenhor Manuel Gomes – “rua dos cemitérios”, terminando na rua homônima.

Um pouco à frente da Ponta do Caju (atual Rua Monsenhor Manuel Gomes), em 1839, o provedor da Santa Casa de Misericórdia, José Clemente Pereira, em uma terra adquirida de José Goularte, construiu o primeiro Cemitério do Rio de Janeiro para indigentes do Rio de Janeiro, que até então enterrados no cemitério velho da Rua Santa Luzia. Com o tempo, este cemitério foi se tornando um complexo de cemitérios.

A prática do vôlei nas areias das praias brasileiras começou por volta dos anos de 1910 na Praia do Caju. O esporte era praticado por jovens remadores do Club Atlhético Cajuense e por militares do Exército Brasileiro.

Praia do Caju em 1915

Com o passar dos anos e as mudanças na região central da cidade do Rio de Janeiro, muitas praias foram extintas, entre elas, a do Caju.

Hoje em dia, a história continua em alta. Viva. E o bairro no mesmo lugar, apesar de tantas mudanças.

Deixe seu comentário

Felipe Lucena497 Posts

Felipe Lucena é jornalista, roteirista e escritor. Filho de nordestinos, nasceu e foi criado na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Apesar da distância, sempre foi (e pretende continuar sendo) um assíduo frequentador das mais diversas regiões da Cidade Maravilhosa.

0 Comentários

Deixar um comentário

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password