Dia da Mulher com Respeito e Empatia - Di√°rio do Rio de Janeiro

Dia da Mulher com Respeito e Empatia

0

No final do ano passado, fui v√≠tima de um taxista sem escr√ļpulos que me assediou e me manteve presa dentro do carro enquanto dava voltas absurdas no trajeto Rodovi√°ria ‚Äď Graja√ļ.

Já era bem tarde e eu exausta após uma viagem de trabalho, só queria chegar em casa.
Conseguir um UBER aquela hora, era missão impossível, ainda mais na rodoviária, onde eles são frequentemente hostilizados.
Entrei no t√°xi e disse o trajeto. Antes que eu piscasse, outro homem entrou no lado do passageiro e as portas foram trancadas.
Foi questão de segundos até eu entender o que estava acontecendo.
O motorista jogou um papo de que era a √ļltima corrida dele e o comparsa ia substitu√≠-lo em algum momento.
Eu comecei a gritar e tentar abrir a porta, me fiz de maluca!
O comparsa falou meia d√ļzia de palavr√Ķes e saiu do carro, mas eu n√£o conseguia sair (acredito que eu estava do lado da porta travada pra crian√ßas) e tinha mala e bolsas dou outro lado.
O taxista deu a partida e come√ßou a ir pra um lugar totalmente diferente da minha rota. Foram minutos de p√Ęnico, pois eu estava t√£o desnorteada, que n√£o conseguia sequer digitar a senha do cel pra pedir ajuda.
Ouvi barbaridades e meu instinto foi pegar o telefone mesmo travado e fingir que estava falando com meu marido. Aí você pensa, porque não fingiu ligar pra policia? Pensei na hipótese e um pavor de que ele sacasse uma arma ou me agredisse tomou conta do meu corpo inteiro.
Sabe-se lá Deus o que  ele faria junto com o comparsa caso eu ficasse quieta com os dois no carro.
Enfim, a história é longa e traumática, mas consegui me salvar. Um dia eu conto o desfecho.
Por que eu t√ī falando isso tudo? Pra voc√™s entenderem que n√≥s mulheres estamos sujeitas a diferentes tipos de viol√™ncia todos os dias, todas as horas. Falta empatia, falta respeito!
Aliás, essa é a palavra chave: RESPEITO! 365 dias por ano, 24h por dia!
Não importa o tamanho da minha roupa, a minha idade, o que eu faço ou não com o meu corpo! Respeito é primordial!
Acha besteira? Acha que √© mimimi? Ent√£o vamos aos n√ļmeros!

Nos primeiros quatro ­meses de 2016 o Rio t­eve média de 13 estup­ros por dia.
Os n√ļmeros s√£o alarmantes!

Em 2015 foram:­

Homicidio doloso (fem­inicídio) 360 mulhere­s mortas

Tentativa de homicidi­o: 642

Lesão corporal dolosa­: 49.281

Estupro: 4128­

tentativa de estupro:­ 484

Calunia/ Difamação/ I­njuria : 36.817

Violência psicológica­:

Ameaça: 48.832­

Constrangimento Ilega­l: 637

(Dados agregados segui­ndo as normas de viol­ência descritas na Le­i Maria da Penha, via Governo do Estado do Rio de Janeiro)

A nível Brasil:­

5 mulheres são espanc­adas a cada 2 minutos­ no país.

1 em cada 5 mulheres ­já sofreram algum tip­o de violência por pa­rte de homens conheci­dos ou não.

O parceiro (Marido/na­morado) é responsável­ por 80% dos casos re­latados.

O Di√°rio do Rio entende que RESPEITO √Č A MELHOR H¬≠OMENAGEM!
Queremos que todas as­ mulheres tenham voz,­ não só hoje, mas tod­os os dias!

Mulheres, denunciem!
Liguem 180­!!!

O¬†Ligue 180¬†foi criad¬≠o para servir de cana¬≠l direto de orienta√ß√£¬≠o sobre direitos e se¬≠rvi√ßos p√ļblicos para ¬≠a popula√ß√£o feminina ¬≠em todo o Pa√≠s (a lig¬≠a√ß√£o √© gratuita).

O canal¬†¬≠desempenha papel cent¬≠ral, ao lado do progr¬≠ama Mulher, Viver sem¬≠ Viol√™ncia, lan√ßado e¬≠m mar√ßo de 2013, com ¬≠o objetivo de cobrir ¬≠o Pa√≠s com servi√ßos p¬≠√ļblicos integrados, i¬≠nclusive nas √°reas ru¬≠rais¬†lato sensu¬≠, mediante a utiliza√߬≠√£o de unidades m√≥veis¬≠ para o campo, a flor¬≠esta e as √°guas.

Flu Ferreira
Carioca de Alma! Aquarilouca pela vida! Head Creative responsável pela editoria de moda, carioquices e life style do Diário do Rio. Editora do IG do site, adora coxinha, é fã de star wars e aos 37 resolveu colorir os cabelos de rosa, no melhor estilo "a diferentona" que você respeita!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Comente