A História da Portela – A Maior Campeã do Carnaval do Rio

Portela 2017 – Raphael David | Riotur

Samba, carnaval e Rio de Janeiro sempre desfilaram juntos. Neste ano de 2017, a campeã da folia carioca foi a Portela. Então, nada mais justo que contarmos um pouco da história desta gigante agremiação.

A Portela foi fundada em abril de 1923, como um bloco carnavalesco chamado “Conjunto Oswaldo Cruz”, bairro sede da Escola. Contudo, o documento que oficializou esta fundação só foi assinado três anos mais tarde, em 1926.


Com mais de meio século de tradição no mercado imobiliário do Rio de Janeiro, a Sergio Castro Imóveis sempre contribuiu para a valorização da cultura carioca

No mesmo ano de 1926 aconteceu a criação do bloco “Baianinhas de Oswaldo Cruz”, que contava com o embrião da primeira diretoria portelense: Paulo da Portela, Alcides Dias Lopes (Malandro Histórico), Heitor dos Prazeres, Antônio Caetano, Antônio Rufino, Manuel Bam Bam Bam, Natalino José do Nascimentoo famoso Natal.

Natal, um dos mais embemáticos diretores da Portela

Essa junção, organização, de blocos resultou na escola de samba, que, em meados dos anos 1930, passou a se chamar Portela e se tornou uma das maiores forças do carnaval carioca”, frisa o historiador Maurício Santos.

O primeiro título veio em 1935, com o enredo “O samba dominando o mundo”. Neste ano, a Portela, ainda chamada de “Vai Como Pode”, sob o comando de Armando Passos, encantou o povo com inovações históricas.

Portela em ação em 1935

Em 1935, a Portela foi a primeira escola a introduzir uma alegoria no carnaval carioca”, pontua Maurício Santos.

As inovações e os títulos seguiram acontecendo. No final da década de 1930, em 1939, a segunda conquista. Nos anos 1940, foram sete carnavais seguidos, de 1941 até 1947.

Nas duas décadas seguintes, (1950 e 1960) mais e mais títulos. Todavia, todo desfile tem seus percalços. Nos anos 1970, 1980, 1990 e 2000, a Portela amargurou anos sem carnavais vitoriosos. Em todo esse tempo, foram apenas três troféus – 70, 80, 84 (primeiro do Sambódromo).

Portela nos anos 1970

É comum as pessoas falarem que a Portela não era campeã desde 1970, apesar dos títulos de 1980 e 1984. Isso porque em 1980, o triunfo foi dividido com a Beija-Flor e em 1984, com a Mangueira, que acabou sendo considerada a super campeã daquele ano”. explica o historiador Maurício Santos.

Apesar desses muitos anos de poucos títulos, a Portela nunca perdeu sua grandeza. Manteve-se entre as maiores, sendo ainda a mais vencedora.

Portela 2017 – Cezar Loureiro | Riotur

Após boas exibições nos anos 2010, o vigésimo segundo título da Águia parecia mais maduro a cada ano. E ele veio em 2017, com o enredo “Quem nunca sentiu o corpo arrepiar ao ver esse rio passar”. Mais que merecido. Que venham novos carnavais.

Consagrada no samba, no carnaval, no Rio de Janeiro e no mundo, a plena história da Portela não cabe em uma só página. Para nossa sorte, esse caudaloso rio de memórias continua vivo, seguindo em frente, nos banhando de boas coisas.

Comente

Felipe Lucena479 Posts

Felipe Lucena é jornalista, roteirista e escritor. Filho de nordestinos, nasceu e foi criado na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Apesar da distância, sempre foi (e pretende continuar sendo) um assíduo frequentador das mais diversas regiões da Cidade Maravilhosa.

0 Comentários

Deixar um comentário

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password