Liberais cariocas podem se unir a Bolsonaro para as eleições municipais?!?! - Diário do Rio de Janeiro

Liberais cariocas podem se unir a Bolsonaro para as eleições municipais?!?!

6

Jair e Flávio Bolsonaro, Pastor Everaldo, Alexandre Borges, Rogério Vargas e Bernardo Santoro

Antes de começar, para quem não conhece este editor aqui, Quintino Gomes Freire, sou liberal, (a um passo de libertário). Então, quando vi a foto aí de cima fiquei muito espantado de verdade, mas deixe-me explicar.

Na foto estão: Jair e Flávio Bolsonaro, Pastor Everaldo, Rogério Vargas, todos do PSC (Bolsonaro está a caminho do PP para o PSC);  Alexandre Borges e Bernardo Santoro, ambos do Instituto Liberal. Borges, inclusive, é muito conhecido por seus textos no Reaçonaria e em sua página no Facebook.

Dito isso, vamos Ă  notĂ­cia que o perfil de Santoro divulgou hoje, quarta, 6/1/16:

Vai ter aliança de liberais e conservadores.
Vai ter amizade entre MBL e Bolsonaros.
Vai ter IL (Instituto Liberal que tem Rodrigo Constantino como uma das principais figuras) fazendo plano de governo.
Vai ter Bolsonaro prefeito.
Vai ter Bolsonaro presidente.
SĂł nĂŁo vai ter esquerdista feliz.

Jair e Flávio Bolsonaro, Pastor Everaldo, Alexandre Borges, RogĂ©rio Vargas e Bernardo Santoro, vulgo eu.Esse foi um…

Posted by Bernardo Santoro on Wednesday, January 6, 2016

Como liberal isso me assustou muito, primeiro porque no Rio não é exatamente dominado pela esquerda. O prefeito Eduardo Paes é do PMDB, está longe de ser um socialista, tem uma sopa de letrinhas o apoiando que vai do PCdoB ao PP. E para 2016 o candidato mais forte, até o momento, é Marcelo Crivella (PRB) que tem um perfil ultra conservador, mais próximo de Bolsonaro do um liberal estaria. Até o prefeito anterior, Cesar Maia (DEM), era de um partido de centro direita. Então, ter aliança entre duas ideologias tão diferentes no município não faz sentido.

O verdadeiro problema da política carioca está longe da dicotomia simplista de direita x esquerda: é o clientelismo. Uma Câmara de Vereadores dominada por políticos que pensam muito mais em seus interesses do momento que realmente em uma cidade melhor. É só ir no perfil de alguns dos vereadores mais votados e observar que sempre estão no partido do governo, ou no que apoia o governo.

Se o apoio dos liberais fosse a Bolsonaro em um 2º turno contra Freixo, por exemplo, estaria tudo ok. Neste caso votaria nele também, dada a alternativa. Mas temos de lembrar que um conservador como Bolsonaro é contra as bandeiras mais caras aos liberais, como direitos LGBT, direitos para mulheres e legalização das drogas.

É de se esperar que o Partido Novo, que prometia ser um diferencial nessas eleições, não faça parte dessa aliança espúria.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Quintino Gomes Freire
Diretor de mídias sociais na Agência B5, palestrante, publicitário, Defensor do Carioca Way of Life e Embaixador do Rio. Começou o Diário do Rio em 2007 e está a frente dele até hoje o levando ser um dos principais portais sobre o Rio de Janeiro.

Comente