Não seja ruim da cabeça e nem doente do pé - Diário do Rio de Janeiro

Não seja ruim da cabeça e nem doente do pé

0
Monobloco - Foto Fernando Maia | Riotur

Monobloco – Foto Fernando Maia | Riotur

Mulheres nuas, bicheiros e excessos a parte, o Carnaval é cultura, e uma cultura que atrai anualmente milhões de Reais em turismo e investimentos para a cidade. Por isso, mais que uma expressão cultural, a semana de folia representa uma importante expressão econômica para o município, sendo sem dúvida um belíssimo exemplo de economia criativa.

O Carnaval é a expressão cultural máxima da nossa Cidade. Cultura é aquilo que ninguém pode tirar da gente. É uma economia que gira, pois sua matéria-prima é a criatividade, a história e as pessoas locais. O chinês pode produzir as plumas e os paetês que vemos nas ruas, mas não produz a Mangueira, a Portela, o Cordão do Bola Preta e tantas outras manifestações que continuarão aqui, pois são cariocas na na essência e na excelência.

Fora do sambódromo, a economia popular e informal, é pujante, são centenas de camelôs sobrevivendo com suas vendas de comida de e bebida, para outros milhares que vão até ali curtir apenas o clima do entorno da grande festa. E este comércio informal, que sustenta muitas famílias e se multiplica pelos milhares de blocos.

Investir em cultura é uma forma inteligente de vender a cidade. O cinema americano vende os valores e seus o destinos turísticos há anos para o mundo inteiro. O Carnaval é a nossa chance de dar o troco, mostrar o nosso povo, nossa alegria, nossas tradições e tudo que o Rio e o Brasil têm que pode ser consumido e comprado por pessoas de fora.

Carnaval é mais que uma festa, é um exemplo de economia Criativa em várias escalas, desde a produção da festa com a nossa cultura, ao desenvolvimento de comunidades através de serviços e produtos gerados por desfiles, com passagens pelos hotéis, restaurantes que recebem mais turistas, pelo comércio que vende mais e aos diversos benefícios agregados que traz para nossa economia.

Por isso, mesmo que você não seja daqueles que vai ao Sambódromo ou pule em bloquinho, lembre-se que essa folia e essa bagunça são recursos preciosos da nossa cidade.

Ajude o Diário do Rio a continuar crescendo!!! Com R$ 7, R$ 25 ou R$ 50 por mês você pode participar deste projeto incrível!

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Roberto Sá Filho

Roberto Sá Filho

Diretor de Criação at MESA Comunicação
Diretor de Criação da MESA Comunicação e professor da ESPM - RJ. É graduado em Publicidade e Propaganda, Pós-Graduado em Marketing Digital e Mestrando em Gestão da Economia Criativa. É também apaixonado pelos seus filhos Théo e Sophia e pelo Rio de Janeiro.
Roberto Sá Filho

Latest posts by Roberto Sá Filho (see all)

Comente