Pesquisa Ibope 2012 para prefeito do Rio de Janeiro

Eleições 2012Pesquisa Ibope divulgada hoje na Rede Globo traz a intenção de voto dos candidatos a prefeito do Rio de Janeiro nas eleições de 2012. Nenhuma novidade:

  • Eduardo Paes (PMDB) – 49%
  • Marcelo Freixo (PSOL) – 8%
  • Rodrigo Maia (DEM) – 5%
  • Otavio Leite (PSDB) – 3%
  • Aspásia (PV) – 2%
  • Cyro Garcia (PSTU) – 1%
  • Fernando Siqueira (PPL) – 1%
  • Antonio Carlos (PCO) – 0%
  • Branco/nulo – 17%
  • Não sabem ou não responderam  – 14%

 

Acho que Paes está no teto, não vejo ele ganhando votos durantes as eleições, tirando dos outros candidatos. Freixo e Maia devem chegar a cerca de 15% cada um, e levar a eleição a um 2o turno.

O grande problema de Freixo será dar gás a sua candidatura, mesmo com pouquíssimo tempo de Tv (esqueça o horário eleitoral e lembre-se dos spots de 30 segundos que aparecem durante a programação normal). Maia certamente subirá, além do tempo de Tv, há muitos que não o conhecem.

E você, está em dúvida? Assista ao debate de ontem na Band:

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ), sob o número 00031/ 2012.

Deixe seu comentário

Quintino Gomes Freire8910 Posts

Diretor de mídias sociais na Agência B5, palestrante, publicitário, Defensor do Carioca Way of Life e Embaixador do Rio. Começou o Diário do Rio em 2007 e está a frente dele até hoje o levando ser um dos principais portais sobre o Rio de Janeiro.

22 Comentários

  • Walmir Lopes Reply

    25 de setembro de 2012 at 22:15

    Aspasia esta preparada para governar o município do rj.

  • Alessandro Medeiros Duarte Reply

    14 de agosto de 2012 at 00:32

    eu voto no FREIXO…

  • Gabriel Sperandio Reply

    13 de agosto de 2012 at 13:36

    Vou tentar comentar…

    Bloco 1: perguntas simples demais para respostas muito triviais. Ordem decrescente de qualidade de resposta: Freixo, Leite, Maia, Paes, Aspásia (prejudicada pela pergunta não ser um tema administrativo);

    Bloco 2: Maia tabelou com o Freixo dando boa oportunidade de explicar um tema que dominava; Freixo foi oportuno na pergunta e mostrou bem a questão do Cartel. Infelizmente não desenvolveu a questão do metrô em rede, dando oportunidade para o Paes dar a entender que o metrô está expandindo decentemente (o que não é verdade). No entanto, o eleitor mais atento nota grande covardia quando o prefeito diz que não é comentarista das obras do estado; Paes tenta tabelar com Aspásia, que responde num tom harmonioso e lhe dá êxito. Observo que o prefeito falou em redução de CO2, quando deveria falar em redução de carbono, uma vez que há outros gases de efeito estufa; Leite e Aspásia tabelam elegantemente citando problemas de saneamento e criticando a CEDAE. Pouco agressivo para uma oposição. Leite arremata com proposta; Já com Maia, Leite consegue tabelar de forma mais agressiva contra a atual gestão e se mostra bom proponente. Maia se explica bem, mesmo não indo tão longe.

    Bloco 3: Freixo demonstra conhecimento dos problemas da cidade e das mazelas da gestão atual. Maia replica falando sobre valorização do servidor, o que é importante, mas cai no risco de monotema (PS: ser paulista não é crime); Paes foge da resposta, mas tenta mostrar resultados. Repete o monotema de 2008 (aprovação automática). Dizer que as escolas lhe dão orgulho viraria quase um meme depois… Na tréplica, a malufada ("eu nego", mas com outras palavras); Paes mostrou densidade na cultura ao perguntar. Leite responde cultura com educação e cultura. Deu espaço para autopromoção do Paes. Tentou se diferenciar mostrando diferença entre aspectos na cultura (educação contra o aspecto econômico). Mostrou coragem (e caráter!) ao falar em colocar a Cidade da Música para funcionar; Leite pontuou ser contra a derrubada da Perimetral (mostrou posição, que aposta ser maioritária). Aspásia acaba replicando o discurso de desejada dependência das outras esferas, que Paes defende (pontualmente não mentiu). Esquivou-se ao falar da necessidade de debate (o que ocorre pouco hoje em dia); Entre sustentabilidade e drogas, Aspásia e Maia tabelaram.

    Bloco 4: Leite mistura educação e cultura (ainda que com alguma propriedade) e ainda levanta a bola para Paes. A pergunta também misturava. Paes consegue uma explicação válida (para o público) sobre a queda do IDEB; Pedindo licença a um comentário pessoal, preferiria que o Rodrigo Maia falasse sobre o Canecão, mas o jeito é aproveitar o discurso. O excesso de uso do jargão sobre a família faz mais sentido quando é um religioso ou um político de direita (embora a chapa seja entendida dos dois modos pelo público) e essa reafirmação constante pode não ser uma aposta muito cosmopolita quando se precisa de votos. Freixo consegue responder bem ao ponto da pergunta e ao ponto da resposta. Sem polemizar no caso do Canecão; Paulo Storani ataca de "não vemos isso no Rio de Janeiro". Paes aposta no trunfo das UPPs e mantém seu nível. Maia desconstrói parcialmente o discurso. Ambos fizeram suas partes (no debate); Freixo defende bem o discurso na saúde e contra privatizações. Similar ao de Rodrigo Maia. Aspásia comenta razoavelmente; Aspásia deu sorte no sorteio do tema e aproveitou a oportunidade. Leite mostra entender do tema, o que é bom quando não é um tema tão óbvio para o candidato.

    Bloco 5: Aspásia equilibra bem a demonstração de domínio do tema com a necessidade de participação popular; Paes se sai razoavelmente bem na resposta questão das vans; Maia poderia dar mais sorte na pergunta: acabou sendo levado a falar pela terceira vez no tema (e nem fora requisitado diretamente antes); Freixo desconstrói o discurso do Paes, reclama do aumento da passagem e do privilégio para empresas de ônibus. Deixar de citar o Grande Méier em especial, como perguntado, não afeta muito a qualidade da resposta; Otávio Leite promove-se pouco sobre o turismo, mas mostra um bom conjunto com o resto do debate.

    Bloco 5 (considerações finais): Otávio Leite aproveita bem o tempo, faz propostas e faz o certo para tentar ser mais conhecido; Paes alinha o discurso com a campanha. No geral, fala de forma burocrática, mas pode funcionar (há quem entenda falta de compreensão popular com grande compreensão do candidato); Rodrigo Maia é generalista. Optou por resumir. E colocou uma proposta (reduzir o valor das passagens). Citou o crack mais uma vez; Marcelo freixo faz seus agradecimentos. Poderia não apresentar metas para a câmara (quatro vereadores para a coligação completa dele é pouco, embora para um partido seja bom). No mais, fez bem em pontuar-se moralmente. Aspásia poderia pontuar-se melhor como oposição.

  • Pamela Nascimento Reply

    6 de agosto de 2012 at 18:33

    Vale a pena assistir! Ja escolheu o seu ?

  • Leandro Fernandes Reply

    4 de agosto de 2012 at 00:35

    Essa eleição é 1º turno e já está decidida.

  • Lucas Batista Reply

    4 de agosto de 2012 at 00:16

    Freixo é o melhor daí, sempre coerente, analisador e crítico, estou torcendo muito por ele, esse é o cara

  • Bruno Henrique Santos Reply

    3 de agosto de 2012 at 23:07

    Depois que conhecerem o Maia aí deve cair mesmo!!!

  • Bruno Henrique Santos Reply

    3 de agosto de 2012 at 23:04

    Rodrigo Maia possui o maior índice de rejeição nas pesquisas, dificilmente subirá. Tomara!

Deixar um comentário

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password