Rio vai sediar a semana Neukomm no Brasil | Diário do Rio

Rio vai sediar a semana Neukomm no Brasil

1

 

Músicos Neukomm no Brasil 2 Foto Pedro Paulo Koellreuter Mais uma vez o Rio mostra que está integrado ao circuito mundial das artes, dessa vez sendo palco para oito concertos gratuitos que celebram o criador da música instrumental no Brasil

 

De 25 a 30 de novembro, o Rio vai sediar a semana Neukomm no Brasil, com oito concertos com entrada gratuita em igrejas e na Praça XV, em homenagem ao compositor Sigismund Neukomm (1778 – 1858). O repertório é inédito e foi resgatado pela cravista Rosana Lanzelotte, diretora artística da série Música nas Igrejas, que comemora 15 anos.

 

A programação da semana Neukomm no Brasil inclui a estréia nos tempos atuais das primeiras obras de música de câmara e música para bandas escritas no país, tocadas pelos músicos Rosana Lanzelotte, Ricardo Kanji, Felipe Prazeres, Hugo Pilger, Edmundo Hora e o conjunto de sopros Art Metal. Os concertos acontecem no Mosteiro de São Bento, Outeiro da Glória, Capela da Reitoria da UFRJ, e as igrejas São Cristóvão, N. Sra do Carmo da Antiga Sé, N. Sra da Conceição, e a Praça XV, no Paço Imperial.

 

Neukomm no Brasil – Música nas Igrejas – Programação

 

Data Programa Artistas Igreja
25/11 – Terça – 19:30 hs Música para corda e flautas Rosana Lanzelotte, Ricardo Kanji, Felipe Prazeres e Hugo Pilger Mosteiro de São Bento – Rua Dom Gerardo 68 – Centro
26/11 – Quarta – 14:30 hs Concerto didático Rosana Lanzelotte e Ricardo Kanji Mosteiro de São Bento
26/11 – Quarta – 19:30 hs Música para bandas Art Metal Igreja São Cristóvão – Praça Padre Seve 10 – São Cristóvão
27/11 – Quinta – 19:30 hs Música para flauta e pianoforte Rosana Lanzelotte e Ricardo Kanji Igreja N. Sra da Gloria do Outeiro – Ladeira N. Sra da Gloria 26 – Glória
28/11 – Sexta – 19:30 hs Música para flauta e pianoforte Rosana Lanzelotte e Ricardo Kanji Capela da Reitoria – Av. Pasteur, 250 – Urca
30/11 – Domingo – 11 hs Música para bandas Art Metal Praça XV – Centro – próx. ao Paço Imperial
30/11 – Domingo – 12:30 hs Música para bandas Art Metal Igreja N. Sra do Carmo da Antiga Sé – Rua Sete de Setembro 14  – Centro
30/11 – Domingo – 19:30 hs Música para piano a 4 mãos Rosana Lanzelotte e Edmundo Hora Igreja N. Sra da Conceição – Rua Marques de São Vicente 19 – Gávea

 

Kanji e Lanzelotte - horizontal[1] Para os leitores do Diário do Rio que não conhecem a história do pai da música instrumental no Brasil. Disponibilizamos um pouco da sua história.

 

Sigismund Neukomm foi um viajante incansável, trocou o país natal, a Áustria, pela França, viajou pelas cortes européias, antes de chegar ao Brasil em 1816. Talvez essa vida itinerante explique o motivo deNeukomm, apesar de seu sucesso na época, ser praticamente ignorado pelas histórias atuais da música no Brasil, Áustria e França, país onde residiu a maior parte da vida. Para os brasileiros, sua obra é primordial e desperta a atenção dos pesquisadores. Chegando ao Brasil no auge da disputa entre José Maurício e Marcos Portugal pela preferência musical de D. João, Neukomm logo percebeu não ter espaço para ele na Capela Real, palco principal do duelo entre seus talentosos colegas.

 

No Brasil Joanino não havia música de câmara, música para piano, música para bandas, música sinfônica. Neukomm, nascido no berço do classicismo, a Áustria, onde reinava a magnífica obra de seus conterrâneos Mozart e Haydn, passa a escrever esses repertórios no Brasil.

 

O compositor inaugurou ainda a prática que se tornou a marca registrada da produção musical brasileira: a mistura de gêneros clássicos e populares. Inspirou-se na modinha “A Melancolia”, de Joaquim Manoel da Câmara, para escrever “L’Amoureux”, e em um lundu, no caso de “O Amor Brasileiro”. De volta à Europa, levou esses ritmos para lá.

Quintino Gomes
Defensor do Carioca Way of Life, morou em Jacarepaguá a vida toda, trabalhou na Zona Oeste, na Zona Norte, Centro e Zona Sul. O pai é português e a mãe carioca da Gema, do Bairro de Fátima

1 Comentário

  1. Eliane gomes da silva on

    Gostaria de parabeniza-los pela programação,pois é muito importante levar música de boa qualidade para o povo,Mas gostaria de enfatizar a importancia de que estes horários das apresentaçoes sejam um pouco mais cedo,pois a violencia e a dificuldade de conseguir condução depois de certa hora na cidade afasta muitas pessoas que gostariam de assistir a essas obras.Eu vou fazer o meu possível para assistir,no dia 25/11/2008,no mosteiro de São Bento a apresentação com Felipe Prazeres que é por si só uma beñção de Deus e que Deus esteja comigo no retorno a Vila da Penha.Obrigada.

Leave A Reply