Rua das Marrecas e o Chafariz das Marrecas

Chafariz das MarrecasUma das ruas mais antigas do Rio é a Rua das Marrecas, perto do Passeio Público, sendo aberta na época da construção do espaço, em 1783. Ficando conhecida pelo poético nome de “Rua das Belas Noites”, devido a quantidade de bordéis que havia por ali (aliás, foi nesta rua que foi usada pela primeira vez a palavra encrenca, mas isso é para outro post).

Em 1785, foi construído um chafariz na esquina das ruas Belas Noites com Barbonos – atual Evaristo da Veiga. Como a água jorrava do bico de cinco marrequinhas de bronze, o chafariz ficou conhecido como Chafariz das Marrecas, e a rua em frente ganhou o mesmo nome. O Chafariz das Marrecas foi criado por Mestre Valentim, também projetista do Passeio Público. A fonte possuía dois tanques, alimentados por bicas simples. Na parte de cima, encontrava-se um terceiro tanque, no qual caía a água que jorrava das marrequinhas.

Faziam parte do conjunto do Chafariz das Marrecas duas estátuas, representando a ninfa Eco e o caçador Narciso. Confeccionadas também por Valentim, as estátuas foram as primeiras obras em metal fundidas no Brasil, pesando cerca de duas toneladas e meia.

Curiosidades:

• Há quem diga que Mestre Valentim se inspirou em um modelo vivo para compor a estátua da ninfa Eco. Já na do caçador Narciso, dizem ter sido inspirada em uma estampa do período Luís XV, com figura se assemelhando a um pajem.

• Para José Mariano Filho, as marrequinhas na verdade eram patos selvagens estilizados, inspirados no “pato de Iberá”, do Mato Grosso.

• As esculturas originais de Eco e Narciso estão guardadas hoje no Memorial Mestre Valentim, no interior do Jardim Botânico.

Antes de passear e reconhecer as belezas do Rio, passa no Shopping do Paço para um café.

69625_10151749325387892_1386177941_n

Este foi um post patrocinado e tem como Mecenas o Shopping Paço do Ouvidor. Passa no Paço.

Deixe seu comentário

Laila Sena21 Posts

Laila é uma carioca antenada com a cultura carioca e aqueles lugares – pessoas também – que nem sonhávamos que existia. Com ela, o Rio é uma descoberta

3 Comentários

  • Christiane Leite Reply

    9 de julho de 2013 at 17:11

    Adoro essas curiosidades do Rio Antigo. E eu bem sei a história da "encrenca"! 🙂

  • Fernanda Teodoro Reply

    8 de julho de 2013 at 18:44

    Dentro do batalhão da policia na evaristo da veiga tem um painel de azulejos com a pintura do chafariz da época, será que foi exatamente ali que ele se encontrava? tem um chafariz tb, porem não é aquele.

    • Laila Sena Reply

      9 de julho de 2013 at 16:26

      Fernanda, se vc conseguir descobrir, me manda? 🙂

Deixar um comentário

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password