Por André Delacerda.

Hangar do Zepelin Santa Cruz por Rc André No ano em que se comemoram os 100 anos de Imigração Japonesa para o Brasil. O Rio além de participar com inúmeras exposições e eventos. Também pode recordar e se orgulhar de ter sido um dos locais escolhidos pelos imigrantes japoneses como seu novo lar.

Encontrei as seguintes curiosidades a respeito da vinda destes imigrantes para o Rio:

Existiu uma Colônia Agrícola Japonesa em Santa Cruz – Zona Oeste da cidade do Rio. Esta era composta por 36 famílias japonesas que se instalaram naquele bairro. Além de deixarem legados agrícolas, deixaram importantes marcas na educação – valores culturais e educacionais-. Investiram também, parte de seus recursos ganhos na produção agrícola, naquela localidade.

Vamos conhecer um pouco da história da Colônia Japonesa de Santa Cruz.

As famílias japonesas chegaram a Zona Oeste do Rio no ano de 1938, através de um acordo entre o Governo Vargas e a Cooperativa de Cotia. Estes vieram de Mogi das Cruzes – SP.

Na Colônia de Santa Cruz, os números agrícolas eram de chamar atenção. Nos primeiros três meses de trabalho, aqui os imigrantes plantaram inicialmente:

  • 75 mil pés de tomateiros;
  • 30 mil pés de repolhos;
  • 120 mil pés de milho.

Perfazendo um total de 468 mil espécies variadas.

Uma curiosidade é a plantação de 3 hectares de arroz.

Pode-se observar que sem dúvida nenhuma o destaque foram as plantações do tomate. Este produto viria a se tornar o famoso “Tomate Santa Cruz”.

Os japoneses aproveitaram o solo turfoso de Santa Cruz e desenvolveram também técnicas de plantio, tendo sucesso com a horticultura.

Neste ano em que se comemorara o centenário da imigração deste povo tão trabalhador e sábio. Um dado relevante é que hoje vivem na cidade do Rio de Janeiro uma população de aproximadamente 15 mil descendentes de japoneses.

Banzai Santa Cruz!

Banzai Rio!

Foto Hangar do Zepelin, Santa Cruz por RcAndre. Aconselho a visitar seu Flickr com várias fotos da Zona Oeste carioca.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui