Prefeito Eduardo Paes durante o lançamento do programa ''Emprega Juv'', em 20 de julho de 2021 - Foto: Beth Santos/Prefeitura do Rio

O prefeito Eduardo Paes (PSD) terá de fazer uma mini reforma de secretário em abril, prazo máximo para quem for candidato se desincompatibilizar de cargos públicos ordenador de despesas para ser candidato nas eleições de 2022. De acordo com o próprio prefeito, 8 de seus secretários serão candidatos a deputado federal ou estadual.

Paes confirmou ao jornalista Cássio Bruno que serão candidatos em 2022:

  • Pedro Paulo – Fazenda
  • Marcelo Calero – Governo
  • Renan Ferreirinha – Educação
  • Chicão Bulhões – Desenvolvimento Econômico
  • Eduardo Cavaliere – Meio Ambiente
  • Guilherme Schleder – Esportes
  • Laura Carneiro – Assistência Social
  • Aquiles Barro – Integração Metropolitana

O número parece grande, mas a Prefeitura do Rio tem atualmente 25 secretarias, ou seja, 1/3 irá mudar até abril do ano que vem. E o número pode ser maior, Cassio Bruno diz que estes 3 nomes devem ser candidatos:

  • Talita Galhardo – Subprefeita de Jacarepaguá
  • Rafael Lima – Subprefeito da Barra e Jacarepaguá
  • Diego Vaz – Subprefeito da Zona Norte

Paes, entretanto, diz que eles não serão candidatos. No caso de Rafael Lima, ele é do grupo do presidente da Câmara do Rio, Carlo Caiado (DEM), e este deve lançar seu irmão candidato a deputado estadual e, historicamente, apoia Rodrigo Maia (sem partido) para deputado federal. Talita é do grupo de Pedro Paulo, que deve apoiar Schleder para estadual.

Resta saber se os 8 secretários serão candidatos pelo PSD que Eduardo agora preside no Rio. O caso é especialmente curioso com Chicão Bulhões, que era do Novo e renunciou a cadeira de deputado estadual para poder ser secretário. O mesmo com Marcelo Calero, que é do Cidadania.

E, claro, Eduardo vai ter parar de olhar pelo retrovisor da política até outubro do ano que vem.

2 COMENTÁRIOS

  1. Urge uma reforma política:
    – Redução de partidos ( 38 partidos e nenhum é responsável pela favelização, falta saneamento básico);
    – Limite de mandatos, máximo de 3 legislaturas. Basta de político profissional;
    – Fim fundo partidário, meu dinheiro é para saúde, educação, segurança NÃO para sustentar partido político;
    – Redução do número de políticos em 40%, 58 mil vereadores. Isso é um absurdo;
    – Limite do número de assessores, máximo de 10 para qq cargo;
    – Político ou qq outro agente que praticar corrupção NUNCA mais poderá atuar na política, restituirá o dobro que roubou e pegará no mínimo 10 anos de prisão;
    – Político pagará carro, moradia, plano de saúde ,como qq brasileiro, ou seja, do seu salário;
    – Eu quero ser político: terá que fazer uma prova no padrão OAB e não poderá ter nenhum processo;
    – Fim da reeleição;
    – Voto distrital, majoritário, voto auditável.
    BASTA DE POLÍTOCOS PROFISSIONAIS QUE ESTÃO NA POLÍTICA NÃO PELO PAÍS, MAS PRA SE ENRIQUECEREM DO DINHEIRO PÚBLICO.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui