Flamengo x Athletico-PR pelo Brasileiro 2021 - Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Na próxima vez que o calendário marcar dia 27, isto é, em novembro, o Flamengo terá pela frente a partida que é considerada a principal da temporada para o clube: a finalíssima da Libertadores, contra o Palmeiras, no Estádio Centenario, em Montevidéu, capital do Uruguai.

E justamente nesta quarta-feira (27/10), faltando exatamente 1 mês para tentar o tricampeonato da mais importante competição continental, o Rubro-Negro carioca tem pela frente outra ”decisão”. Às 21h30, no Maracanã, o Fla encara o Athletico-PR valendo vaga na final da Copa do Brasil.

E o referido duelo acontece no momento de maior instabilidade desde que Renato Gaúcho assumiu o comando da equipe, em julho. A 3 jogos sem vencer, vindo, inclusive, de uma significativa derrota por 3 a 1 para o rival Fluminense, no último sábado (23/10), o Rubro-Negro tenta garantir a classificação no principal torneio mata-mata do país para ”acalmar” o ambiente e, paralelamente, chegar a mais uma disputa de título.

Para isso, terá, por exemplo, o importantíssimo retorno da dupla de ataque que há quase 3 anos encanta os torcedores e vai marcando seu nome na história do clube: Bruno Henrique e Gabigol. Como a primeira partida, em Curitiba, terminou em 2×2, quem vencer se classifica, e qualquer empate leva a disputa da vaga para os pênaltis.

Sobre o momento ”conturbado” – digamos assim – citado anteriormente, embora os números de Renato sejam extremamente positivos à frente da equipe, com 18 vitórias, 5 empates e apenas 3 derrotas em 26 jogos, o fato do Rubro-Negro ter empatado com o modesto Cuiabá, no Maracanã, bem como o revés no Fla-Flu, ligaram o sinal de alerta em uma torcida que se acostumou a vencer e encantar, não aceitando nada menos que vitórias e um futebol bem jogado, fato este que vem sendo a principal crítica ao trabalho do atual treinador, que, com um elenco bastante qualificado nas mãos, não consegue ser unanimidade em relação à maneira que o time joga.

Para Italo Bitencourt, torcedor do Flamengo e comentarista do ”Acréscimos”, programa esportivo do DIÁRIO DO RIO, o principal dilema de Renato Gaúcho, além de encontrar o substituto ideal de Arrascaeta, que está machucado, é conseguir fazer o time ter uma alternativa de jogo além da qual está acostumado.

”Renato tem problemas não só pra substituir Arrascaeta, que é o grande pensador do time, que cria jogadas e facilita a vida dos atacantes rubro-negros: ele tem dificuldade de ler o jogo e fazer com que a equipe tenha alguma variação tática. O Flamengo joga com a bola e os adversários já entenderam isso, mas parece que o técnico praieiro não soube lidar com a retranca dos oponentes e passa mais da metade do jogo só girando a bola sem nenhuma tática ofensiva”, disse, antes de complementar depositando sua confiança na dupla de ataque.

”Só nos resta agora acreditar que Gabigol, Bruno Henrique e companhia tenham uma noite inspirada e se lembrem do passado recente do melhor futebol deles juntos”, concluiu.

Renato Gaúcho com jogadores do Fluminense comemorando gol ao fundo – Foto: Marcelo Cortes/Flamengo

Fato é que, para não chegar em Montevidéu cercado de desconfiança, uma vez que a disputa do título brasileiro, apesar de ainda ser possível, está cada vez mais difícil devido ao bom momento do Atlético-MG, a ida à decisão da Copa do Brasil se torna quase que uma ”obrigação” para o Flamengo. Ao menos para o que pensam os torcedores.

Provável Flamengo: Diego Alves; Isla, Rodrigo Caio, Léo Pereira e Filipe Luís; Willian Arão, Diego, Andreas Pereira e Everton Ribeiro; Bruno Henrique e Gabigol. Técnico: Renato Gaúcho

Provável Athletico-PR: Santos; Pedro Henrique, Thiago Heleno e Nicolás Hernández; Marcinho, Erick, Léo Cittadini e Abner; Terans, Nikão e Renato Kayzer. Técnico: Alberto Valentim

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui