RafuckoAs manifestações que abalaram o Brasil em junho mas continuam com muita força no Rio de Janeiro e não é por menos, é aqui que estão os piores políticos e uma Polícia Militar que não se dá ao respeito. O vídeo do Rafucko em que ele relata o abuso policial durante as manifestações no Leblon na última quarta-feira é um exemplo de que as manifestações não podem parar.

O Rafucko é um crítico conhecido ao governo Cabral e Eduardo Paes e não é violento, acompanho o trabalho dele faz tempo. Pois ele foi preso, por formação de quadrilha, e que estaria jogando pedras portuguesas nos policiais, o que provou ser uma mentira, com um vídeo provando que não conhecia nem os membros de sua “quadrilha” ou que sua camisa possuía pedras. Veja:

Claro que há manifestantes violentos mas por que prender inocentes? Será que para o Comando da PM e o governador Sérgio Cabral a ideia é implantar o medo nos manifestantes?! Quem sabe assim tentando abafar as manifestações pelo medo? Não duvido que possa ser isso

Sérgio Cabral disse que os “atos de vandalismo são afronta ao estado democrático de direito”, realmente é verdade. Mas e quando sua força de segurança age violentamente contra manifestantes pacíficos, no vídeo acima pode se ver um manifestante levando um perigosíssimo buquê de flores para os policiais (vai que eles são alérgicos, né?), e, pior, quando plantam provas e prendem sem razão uma pessoa?!

O caso de Rafucko é emblemático, um exemplo de um ativista pacífico e conhecido. Mas como ele diz em seu depoimento, que pode assistir abaixo, isso é algo que acontece com frequência nas favelas e zonas pobres do Rio de Janeiro. Nada vale a prisão de um inocente.

Se aqui tivéssemos mais políticos sérios na ALERJ e uma imprensa mais séria, este caso faria cair o Comando da PM e o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame. Mas aqui não é sério, focam nas depredações mas não falam como chegaram nelas. Triste, muito triste…

O Colesterol da semana passada fez um podcast com a participação de Rafucko, vale a pena escutar.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui