A Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro aprovou nesta terça-feira (9/06), em primeira discussão, o projeto de lei 43/2021 de autoria do vereador Dr. Marcos Paulo (Psol/RJ), que proíbe que animais sejam mantidos em correntes. Quem descumprir a lei poderá pagar multa e os valores serão destinados ao Fundo de Proteção Animal.

A proposta prevê multa de R$ 1.000,00 a R$ 10.000,00, caso a infração seja cometida por estabelecimentos comerciais e de R$ 1.000,00 a R$ 5.000,00 para indivíduos, que também serão proibidos de participar de concursos públicos. O PL segue para uma segunda votação e, se aprovado, será enviado para a sanção do prefeito,  que terá o prazo de 90 dias para regulamentá-lo.

Na defesa do projeto, Dr. Marcos Paulo ressalta que manter animais em correntes ainda é uma prática comum, mas configura maus-tratos porque pode causar danos físicos, lesões de pele, no pescoço e no corpo, além de distúrbios psicológicos.

Acorrentar um animal por longos períodos é uma conduta desumana porque priva o bicho de sua liberdade e pode ocasionar diversos traumas. Nossa sociedade precisa revisar a forma como percebe a vida animal. São seres capazes de sentir dor, medo, alegria. Animais não são coisas e precisam ser respeitado”, frisou o parlamentar.

3 COMENTÁRIOS

  1. Mais um pl blablabla, quero ver entrar na favela e multar o cara q deixou o cachorro na corrente. Fantástico mundo de marcos Paulo ???

  2. O certo seria proibir animais de estimação… se o parlamentar fala que animais não devem ser tratados como coisas, e verdadeiramente se preocupa com o bem estar dos animais.

    Como pessoas que compram (como coisas) ou mesmo adotam (como coisas que estavam abandonadas) tocam suas vidas, trabalham etc. deixam animais, muitas vezes, sozinhos, por longos períodos em locais fechados, mesmo sem corrente, manter animais dentro de quatro paredes, sozinhos, causa danos que afetam e levam ao sofrimento, estresse…

    Quem ama verdadeiramente os animais não Compra nem Adota. Não mantém seres sob o seu domínio, nem mesmo “como da família” – um desvio, antinatural, um dependência, logo, fraqueza psicológica, sadismo. Mas sim os observa e admira no meio deles.

  3. Engaiolado pode?
    Acredito até que um pássaro na gaiola sofre ainda mais… suas asas de nada servem.

    Tem uns parlamentares que parecem dispostos a fazerem média… só tem olhos para animais de quatro patas porque as associações e movimentos de defesa são mais atuantes.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui