Adriana Ancelmo e Sérgio CabralO governador Sérgio Cabral (PMDB) perdeu seu espaço na revista VEJA mesmo. Nesta semana  a revista trouxe velhas denúncias contra a primeira dama do estado, Adriana Ancelmo. Velhas porque volta a bater no escritório de advocacia que tem como sócia Adriana, o escritório Coelho & Ancelmo Advogados Associados.

Em 2009 o Diário do Rio já havia comentado sobre as ações que o escritório da primeira-dama tinha contra o estado, além de ter como cliente a fornecedora Facility. Mas desta vez a Veja faz uma pesquisa mais profunda, como ao constatar que o rendimento médio de Adriana Ancelmo é de R$ 184 000, mais de 7 vezes o salário do marido governador, de R$ 26 000.

As maiores suspeitas é que antes de Cabral ser governador 2% do faturamento de seu escritório vinha de de concessionária e prestadoras de serviço, pois atualmente são 60%, incluindo, MetrôRio, Supervia, a Light e a onipresente Facility. Também é surpreendente o crescimento, em 6 anos pulou de 3 advogados (apenas os sócios, na época tinha mais um, Dourado) , 500 processos e R$ 2 milhões e 100 mil, para 20 advogados, 10 000 ações e renda de R$ 9,5 milhões.

Diz o ditado que “à mulher César não basta ser honesta, tem de parecer honesta”. Claro que ter um grande escritório de advocacia não é sinal de desonestidade, o problema é o crescimento dele enquanto é casada com o governador do estado e tem como principais clientes empresas com contratos públicos. Soma mais uma denúncia da Veja

Em abril de 2011, Cabral permitiu que Adriana desse em primeira mão aos interessados a notícia de que eles haviam sido escolhidos para ser os três novos desembargadores do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Adriana chamou os escolhidos por Cabral – Patricia Ribeiro Serra Vieira, Luciano Sabóia Rinaldi de Carvalho e Cláudio Tavares de Oliveira Junior – ao seu escritório e contou-lhes a boa-nova. Em uma evidente e inadequada confusão de funções entre marido governador e mulher advogada, Adriana representou Cabral nas cerimônias de posse dos novos desembargadores

O Judiciário é independente mas é formado por homens, pedir a esposa advogada para noticiar a promoção é quase como dizer a pessoa do outro lado da mesa que deve um favor. Pode não ter sido isso mas que parece, bem, parece!

É interessante notar que as recentes denúncias contra Sérgio Cabral e família, nenhuma é novidade. Pelo contrário, antes servia para matérias elogiosas, antes da derrocada da popularidade de Cabral a própria Veja, através da Veja Rio, fez uma matéria elogiosa à Primeira Dama, em 2007, incluindo trechos sobre seu escritório.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui