Adriana Balthazar premia alunos do curso de fiscalização dos gastos públicos

Deputada Adriana Balthazar foi autora da 1ª edição do FiscalizaRJá teve 206 inscritos de 31 municípios do estado do Rio de Janeiro

A deputada Adriana Balthazar (Novo) realizou, nesta quinta-feira (12), o encerramento da primeira edição do programa FiscalizaRJá com a premiação dos três primeiros colocados do  curso gratuito que ensinou jovens a supervisionarem a gestão pública. Projetos que ampliam o controle social, a transparência e melhoram os serviços aos cidadãos foram os que mais se destacaram.

A primeira turma foi formada por 100 jovens, selecionados entre 206 inscritos vindos de 31 municípios do estado. Ex-líder do movimento Vem Pra Rua, um dos responsáveis pelas manifestações que pressionaram pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), Adriana Balthazar emocionou-se ao destacar que a proposta da iniciativa é mobilizar a população.

Queremos criar uma nova cultura, trazer o cidadão para a política. É o povo que põe medo e o controle social faz diferença.  O FiscalizaRJá nasceu para deixar um legado, que são jovens mais conscientes e participativos”, disse a deputada.

O universitário José Rodrigo Salgueiro, de 25 anos, foi o primeiro colocado com a sugestão do “Opina aí“. O projeto propõe a criação de um aplicativo para que servidores e cidadãos avaliem os produtos e serviços contratados nas licitações feitas pela gestão pública.

Mesmo sem conhecer os processos, quem usufruiu do que é contratado poderá opinar. Assim, será possível melhorar a qualidade do que chega a nós em futuras licitações“, explicou José Salgueiro, que estudou em escola pública e usou como exemplo a péssima qualidade dos kits escolares que recebia.

Lukas Domingos, de 19 anos, ficou em segundo lugar com o projeto “Denúncia Livre“, que sugere a criação de um mecanismo para que as pessoas supervisionem os órgãos de fiscalização e acompanhem se suas denúncias estão sendo apuradas. 

Já  Luiz Felipe Paranhos, de 30 anos, ficou com a medalha de bronze com o projeto “Acordo limpo: mãos à obra e não mãos ao alto”, que cria um seguro anticorrupção para obras. “A seguradora garantiria a execução da obra. No estado, são 106 obras paradas em áreas urbanizadas. Dos mais de R$ 3,2 bilhões investidos, 71% já foi pago, mas nada foi entregue por inércia“, alertou Luiz Felipe.

Pela primeira posição, José Rodrigo ganhou um smartphone. Todos os três jovens almoçaram com a deputada, visitaram o gabinete e conheceram o plenário do novo edifício da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj)

O curso

Realizado de forma online com aulas teóricas e práticas, o curso trouxe disciplinas de Administração, Licitações e Contratos, Cidadania e Controle Social, Orçamento e Transparência Pública.  Auditores das escolas do Tribunal de Contas do Estado (TCE), do Ministério Público (MP-RJ) e da Controladoria Geral do Estado (CGE), além de professores de diferentes universidades, foram os mestres dos alunos.

“Achamos a ideia brilhante e abraçamos porque acreditamos no controle social. A sociedade quer auxiliar, mas é preciso capacitar. O projeto é rico por isso“, afirmou Karen Dutra, diretora da Escola de Contas do TCE.

Presente na cerimônia de premiação, o deputado federal Paulo Ganime (Novo) também exaltou a iniciativa. “Fiscalizar é papel primordial do parlamentar. Mas a gente consegue entregar mais com a ajuda da população. E isso ocorre quando ela está mais próxima da política e da gestão pública“.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui