Foto: Reprodução

O aeroporto de Maricá, inaugurado há três anos, acaba de ser autorizado a operar voos regionais, executivos e a operar com instrumentos. O local funcionava apenas como aeródromo desde a sua inauguração.

Atualmente, o aeroporto opera com IFR (Instrumental Flight Rules), o que permite decolagens, aproximações e pousos, mesmo com pouca visibilidade. A inserção do Aeroporto de Maricá com essa classificação, foi publicada na carta do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), que regula a aviação em todo o país. Essa implementação se junta à instalação do Percurso de Aproximação de Precisão (Papi, sigla em inglês).

O Percurso de Aproximação de Precisão que foi instalado há um ano é um conjunto de luzes que auxilia o piloto e baliza a pista nas operações de pouso noturno. Com o IFR, além de poder pousar à noite, as aeronaves poderão fazer a aproximação final com baixa visibilidade, devido a troca de informação entre o GPS de bordo com receptores/emissores em solo.

Olavo Noleto, presidente da Companhia de Desenvolvimento de Maricá (Codemar), em entrevista ao blog Agenda Bafafá, explica a importância estratégica do aeroporto.

“Essa nova qualificação técnica do aeroporto municipal de Maricá atesta a enorme vocação estratégica desse terminal para funcionar como alternativa para a aviação regional, de apoio ao offshore e de pequeno porte em nosso estado”.

O aeroporto de Maricá tem uma pista útil de 1.200 metros e está localizado a 60km da capital, a 40km do Comperj, a 100km de Cabo Frio, a 128km de Búzios e a 200km, em linha reta, dos campos do pré-sal da Bacia de Santos. Esta é a menor distância entre o continente e as plataformas dos Campos de Lula e Libra. Com isso, o terminal se mostra estratégico para as operações de logística para a atividade offshore.

Agora com o funcionamento em tempo integral, o aeroporto torna-se uma base de apoio para eventuais operações de resgate nas plataformas e de voos médicos de emergência. 

Costa do mar, do Rio, Carioca, da Zona Sul à Oeste, litorânea e pisciana. Como peixe nos meandros da cidade, circulante, aspirante à justiça - advogada, engajada, jornalista aspirante. Do tantã das avenidas, dos blocos de carnaval à força de transformação da política acreditando na informação como salvaguarda de um novo tempo: sonhadora ansiosa por fazer-valer!

6 COMENTÁRIOS

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui