Alerj aprova lei para combater furtos de cabos

Ferros-velhos precisarão de autorização da Delegacia de Roubos e Furtos para funcionar; os donos terão que declarar onde os matérias do estabelecimento foram comprados

(Foto meramente ilustrativa de um ferro-velho)

Em uma audiência na segunda-feira, (04/07) a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou uma medida para combater os furtos de cabos de energia. A partir de 17 de agosto, os ferros-velhos do Rio precisarão de um registro em delegacia para funcionar.

A lei visa a coibir a receptação de materiais furtados, como cabos da Supervia.

De acordo com a nova lei, os ferros-velhos precisarão de autorização da Delegacia de Roubos e Furtos para funcionar. Os donos terão que declarar a destinação do material e de onde ele foi comprado. A partir do mês que vem, pontos flagrados sem o RAF pagarão multa e podem ser interditados.

“Nosso principal trabalho vem sendo na fiscalização do comprador. Coibir o furto é muito mais difícil. A gente acredita que teremos muito mais efetividade atacando diretamente quem comercializa, quem compra”, disse o delegado Luiz Henrique Marques à CPI dos Trens da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

Advertisement

2 COMENTÁRIOS

  1. É praticamente impossível pegar em flagrante alguém roubando, pois ocorrem em locais remotos, de difíceis acessos e em horário noturno e de madrugada. Se não combater quem compra, é praticamente impossível parar essa prática.

  2. Que lei inútil.. já existe lei contra o roubo de cabos: a PENAL, é crime. Tem que investigar e punir. Sem punibilidade não há crime que seja resolvido. É do descrédito com a lei que o crime floresce. Rastrear a compra de metais usados pode ajudar como um paliativo, mas não é a raiz dos problemas. Pensem por um segundo: catadores de metal irão abrir MEI para emitir notas de venda e assim fornecer prova de origem pros ferros-velhos?! Duvido!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui