Fachada do Palácio Tiradentes, no Centro do Rio - Foto Cleomir Tavares/Diário do Rio

A Comissão de Defesa do Meio Ambiente (CDMA), da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), reativou o serviço de recebimento de denúncias feitas pela população por meio de ligações gratuitas. A partir de agora, qualquer pessoa pode telefonar sem custos para 0800 282 0230 e denunciar irregularidades relacionadas a crimes ambientais em todo o Estado do Rio. O atendimento acontece de segunda a sexta, das 10h às 17h.

A reativação do Disque-Defesa do Meio Ambiente visa a ampliar os canais de comunicação com o público em geral e aumentar a eficácia das fiscalizações realizadas pelos técnicos da CDMA, de acordo com o deputado Gustavo Schmidt, que assumiu recentemente a presidência da Comissão.

“Ao assumirmos a presidência da CDMA, uma das primeiras ações foi a de reativar o Disque-Defesa do Meio Ambiente, uma ferramenta importantíssima para auxiliar nosso trabalho no sentido de intensificar e melhorar a qualidade das fiscalizações em todo o Estado”, afirma Gustavo.

Além do 0800, as denúncias também podem ser feitas pelo e-mail meioambiente.denuncias@alerj.rj.gov.br. Todas as mensagens são devidamente registradas e analisadas pelos técnicos da CDMA, podendo resultar em diligências e vistorias. Caso seja confirmada alguma irregularidade, a Comissão pode solicitar, por meio de ofícios, informações e providências dos responsáveis, acompanhando todo o processo e cobrando soluções.

“Estive à frente da Comissão de Saneamento Ambiental da Alerj por dois anos e tivemos uma excelente experiência por meio do serviço de 0800, não apenas com o recebimento de denúncias, mas também com sugestões que serviram de base para debates e a criação de projetos. Espero que tenhamos o mesmo sucesso na CDMA”, explica Gustavo Schmidt.

As denúncias também serão recebidas pessoalmente na Alerj. O atendimento ao público acontece de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h no Gabinete 107 do prédio anexo ao Palácio Tiradentes, na Rua Dom Manoel, 1, no Centro do Rio.

Costa do mar, do Rio, Carioca, da Zona Sul à Oeste, litorânea e pisciana. Como peixe nos meandros da cidade, circulante, aspirante à justiça - advogada, engajada, jornalista aspirante. Do tantã das avenidas, dos blocos de carnaval à força de transformação da política acreditando na informação como salvaguarda de um novo tempo: sonhadora ansiosa por fazer-valer!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui