Opinião

Alessandro Valentim – Canto de Oxalá: influencer umbandista idealiza evento para valorizar a cultura da fé afro-brasileira

Compartilhar

Ao contrário do que previam os intolerantes religiosos, a fé afro-brasileira cresceu. Os terreiros de Umbanda e de Candomblé estão cada vez mais com o corpo mediúnico jovem, fato que pode ser notado ao visitar as casas de santo pelo Rio de Janeiro. Faça uma agenda e comprove. Na internet não é diferente. As biografias das redes sociais contam com diversos perfis que se orgulham de deixar pública a informação ‘’umbandista’’ ou ‘’candomblecista’’, além dos influenciadores digitais.

Igor Benatti coleciona mais de 108 mil seguidores no Instagram, onde canta pontos umbandistas, mas não limita as suas ações às redes sociais. Previsto para fevereiro e com o objetivo de valorizar a arte do axé, o evento ‘’Canto de Oxalá’’, idealizado por Benatti, está em fase de cooptação de patrocinadores, cantores umbandistas e candomblecistas e empreendedores da moda, culinária e artesanato de terreiro.

‘’Quero levar através da minha voz, a paz, seriedade, fé e amor, para todas as pessoas. Oxalá é o Orixá que envolve tudo isso, que nos traz conforto e esperança para dias melhores.O evento será um lugar onde nossa cultura e ancestralidade serão valorizadas, além de juntar o melhor da gastronomia, música e reunir influenciadores do axé’’, afirmou Igor Benatti.

O jovem umbandista
Igor Benatti começou a cantar ainda criança nos karaokês da família. Até os 16 anos fez parte do grupo musical da igreja que frequentava, quando se afastou da religião e se dedicou ao funk. O rapaz chegou a sentir o início do gosto do sucesso, mas acabou encontrando a

Umbanda no meio do caminho. Apaixonado pela religião, decidiu estudar e criar conteúdos para o público umbandista, mesmo com receio de ser criticado pela família.

‘’Me considero um cantor da Umbanda. Hoje, venho me profissionalizando e aperfeiçoando a minha voz e apresentações para que o nosso segmento musical possa ser comercializado e respeitado, mas claro, sem perder a essência do axé’’, explicou Benatti.

Igor é publicitário, trabalha com eventos e é pai. Além de levar a bandeira da sua fé para as redes sociais, Benatti sonha em cantar para os Orixás em grandes palcos a fim de conquistar o orgulho do seu filho. ‘

’Quero que ele possa dizer que eu pude contribuir com a religião e que ele sinta orgulho do legado que deixarei’’, contou o cantor.

Alessandro Valentim

Carioca, jornalista e assessor de comunicação. Umbandista, escreve e pesquisa sobre as tradições e a discriminação às crenças afro-brasileiras.