Carnaval 2016 – Mangueira – Foto: Fernando Grilli | Riotur

O Carnaval Carioca de 2017 já começou. No final de semana que antecede a folia diversos blocos já estão desfilando pela cidade e o clima carnavalesco já toma conta do Rio. Faltando uma semana para o início dos desfiles na Sapucaí que definirão as campeãs desse ano e para a festa dos blocos mais tradicionais, confira algumas curiosidades sobre o nosso Carnaval:

As Escolas de Samba Portela, Estação Primeira de Mangueira, Acadêmicos do Salgueiro e Mocidade Independente de Padre Miguel são as únicas que nunca foram rebaixadas. As duas primeiras foram fundadoras do campeonato e sempre estiveram na primeira divisão, sendo as mais tradicionais do país. As duas últimas chegaram à elite nos anos 50 e não deixaram de estar nela em nenhum momento até hoje.

A Imperatriz Leopoldinense e a Beija-Flor estão há décadas no Grupo Especial, mas já sofreram rebaixamentos no início de sua participação na divisão principal. A Unidos de Vila Isabel, a União da Ilha, a Unidos da Tijuca e o Império Serrano são escolas de muita história, mas viveram altos e baixos, estando a tijucana em seu melhor momento e a da Serrinha em seu pior período.

Carnaval 2016 – Portela – Foto: Fernando Maia | Riotur

A Estácio de Sá é herdeira da histórica Deixa Falar, que participou do primeiro campeonato com Portela e Mangueira.

Os blocos carnavalescos mais tradicionais da cidade são o Cordão do Bola Preta, a Banda de Ipanema, o Carmelitas, o Simpatia é Quase Amor, o Cordão do Boitatá, o Suvaco do Cristo e o Cacique de Ramos, entre outros. Nos últimos tempos, blocos como o Monobloco, o Bangalafumenga, o Orquestra Voadora, o Sargento Pimenta e o Bloco da Preta têm crescido bastante.

Por fim, embora os blocos e as festas de carnaval muitas vezes componham suas próprias músicas, as tradicionais marchinhas de Carnaval nunca saem de moda. As mais tocadas são Turma do Funil, Mamãe Eu Quero, Cabeleira do Zezé, Abre Alas, Saca Rolha, Me Dá Um Dinheiro Aí, Aurora, Maria Sapatão, Pipa do Vovô, Allah La Oh, Vassourinha e Chiquita Bacana.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui