O PMDB é um partido que tem razões que a própria razão desconhece, mas não dá para dizer, "ah, é só no Brasil", porque nos EUA os Democratas estão em uma briga fatricida há meses entre dois candidatos e já dizem que um tercius (Al Gore) pode ser o candidato do partido. Mas a verdade é que no PMDB com uma figura politicamente acostumada a trair como Sergio Cabral (traiu os Garotinho e depois Eduardo Paes), tudo é possível. Até porque, se você não cumpre seus acordos, é capaz dos outros não precisar respeitar suas palavras com você.

Pois bem, de acordo com a Folha Online, uma parte considerável do PMDB não gostou da forma que foi decidida a aliança com o PT, feita de repente e a portas fechadas. Aliança a qual foi decidida por Jorge Picciani e Sergio Cabral, ambos com grande força dentro do partido (o primeiro mais do que o segundo).

Só que, contudo, três outras figuras fortes como Eduardo Cunha e Garotinho além de Itagiba, não gostaram muito do acordo, mas de formas diferentes:

  • Eduardo Cunha acha possível aliança com o PT, mas com outro nome sem ser Alessandro Molon. Mas quem? O PT carioca é fraco, muito fraco de nomes.
  • Garotinho, pensando no estado todo, gostaria de uma aliança com o DEM que iria além da Capital.
  • Itagiba, ele quer ser candidato e até agora não mostrou vontade de abrir mão de sua campanha.

Pessoalmente acho que a aliança com o PT deve ficar como está… Mas, vai saber… estas eleições tão confusas demais.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui