Cerveja também é ciência, ou acha que ficar criando novos sabores é só sair misturando e ver no que vai dar? Pois a Cervejaria Ambev fez um mega investimento e inaugurou no Parque Tecnológico da UFRJ, o CIT – Centro de Inovação e Tecnologia Cervejeira, um dos mais modernos do mundo. O Centro, que é o 6º do grupo ABI Inbev no mundo, tem como missão desenvolver novas cervejas, receitas, embalagens e outras bebidas.

O CIT, é incrível, estive no local, e é uma mini fábrica de cerveja, mas com capacidade de mudar para cada necessidade especial da cerveja. Foram investidos mais de R$ 180 milhões no local. E é excelente para o Rio, já que no Parque Tecnológico tem 62 instituições de várias áreas, como a Petrobrás, Halliburton, L’Oréal e General Electric (GE). E esse cluster ajuda as empresas a conversarem entre si, aumentando a capacidade de criação, a Ambev, por exemplo, pode conversar com a L´Oréal para a que a 2ª use produtos cervejeiros em seus cosméticos.

São mais de 15 mil m², cerca de 80 pessoas, sendo mais de 10 mestres-cervejeiros, pensam todos os dias qual será a próxima cerveja que irá ao mercado no Brasil. O time realiza todos os meses, no mínimo, 40 sessões de degustação, nas quais são analisados estilos, sabores e aromas das potenciais novas cervejas. Todas essas etapas permitem que ao menos oito inovações, envolvendo cervejas, embalagens, rótulos e outras bebidas, como sucos e refrigerantes, por exemplo, sejam criadas no CIT a cada 30 dias.

De lá, inclusive, já começam a ser desenvolvidas novas criações, como a recém lançada SKOL HOPS, que acaba de ser premiada no World Beer Awards 2018, a copa do mundo da cerveja, com a Country Winner na categoria Hop Pilsner.

O CIT é a concretização de um grande sonho. Vivemos e pensamos em fazer diferentes tipos de cerveja, todos os dias. Somos inquietos, inovadores, criativos, e o CIT é mais um dos marcos nessa trajetória, no Brasil e no mundo. Erguer isso é apresentar ao Brasil e ao mundo o futuro da cerveja”, comenta o mestre-cervejeiro e diretor do CIT, Daniel Baumann.

A importância do CIT não se restringe apenas ao Brasil. O desenvolvimento de tecnologias e produtos será compartilhado, também, com os mercados da América Latina e com o restante do mundo.

No Centro de Inovação e Tecnologia Cervejeira da Ambev somos capazes de desenvolver três vezes mais inovação do que antes. Podemos dizer que, a partir de hoje, teremos pela frente muitos anos de novas receitas e diversidade cervejeira”, afirma Maurício Soufen, mestre cervejeiro vice-presidente de Supply da Cervejaria Ambev.

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui