Análise do 2o dia de desfiles da Série A 2018

Abrindo o segundo dia, a Alegria da Zona Sul fez um desfile semelhante ao feito pela Unidos de Bangu ontem, também iniciando a noite.  Alegorias e fantasias mais simples, investimento menor e os componentes da escola buscando compensar com a garra. O último carro teve dificuldades para entrar na Sapucaí e a escola parou para esperar a alegoria. Deve lutar para não cair, assim como a Unidos de Bangu.

A Santa Cruz fez um desfile interessante. O enredo que tratava da sorte e da esperança trouxe algumas soluções criativas do experiente carnavalesco Max Lopes. Visualmente bonita, ficou a impressão de que com mais recursos a escola poderia ter ido melhor. Em alguns momentos a agremiação pareceu correr muito. Chamou a atenção a pressa dos passistas. Pode prejudicar o resultado final.

Foto: Paulo Portilho | Riotur
Viradouro fez bela homenagem ao gênio Joãozinho Trinta, que levou a escola ao seu único título no Grupo Especial. Forte candidata ao título da Série A.

A Viradouro fez um excelente desfile, com acertos em diversos quesitos e uma qualidade visual diferenciada das demais escolas, no nível das melhores do Grupo Especial. O samba funcionou na Avenida e a grande torcida da agremiação ajudou. Alas bem coreografadas e bem maquiadas também foram destaque. A vermelho e branco de Niterói luta pelo título.

Na Rocinha os carros alegóricos foram o destaque. Mas um destaque muito negativo. Graves problemas com as alegorias geraram buracos, problemas de evolução e paralisações na escola. O desfile infelizmente foi comprometido, a bateria não entrou no recuo e a agremiação deve disputar as últimas posições, podendo até cair.

A Cubango trouxe um enredo interessante e pedagógico, ensinando mais sobre a história do artista plástico Bispo do Rosário, que foi tratado como louco e internado na Colônia Juliano Moreira. A escola fez um desfile interessante e com alegorias bonitas, embora algumas mais qualificadas que outras. Cometeu erros no andamento das alas que causaram grande buraco na entrada da bateria no recuo e podem gerar perda pontos. Além disso, teve problemas na dispersão e atrasou o desfile da Inocentes de Belford Roxo. Deve ficar em posição intermediária.

O desfile da Inocentes de Belford Roxo foi correto e componentes cantaram bastante o samba, com animação.  Os carros alegóricos eram bonitos, mas o detalhismo variava de um para o outro. O último carro estava abaixo dos demais e algumas esculturas não tinham o mesmo nível da Viradouro, por exemplo.  A bateria foi bem, as fantasias estavam bonitas e a escola deve estar na metade de cima da classificação.

Foto: Gabriel Monteiro | Riotur
Unidos de Padre Miguel falou da Amazônia, mas não foi repetitiva e fez ótimo desfile.

A Unidos de Padre Miguel fez um desfile grandioso e mais uma vez, como nos últimos anos, é candidata ao título. Excetuado um problema no primeiro carro, onde um efeito de aquário não funcionou e ainda molhou a pista da Avenida, e alguns outros pequenos deslizes, o desfile foi excelente. Belas alegorias, fantasias muito bonitas, evolução bem feita e componentes animados. A bateria deu show. Um samba complexo, mas que funcionou bem. É candidata ao campeonato.

Deixe seu comentário

Bruno Kazuhiro107 Posts

29 anos, é formado em Direito pela UFRJ, Mestre em Ciência Política pelo IESP-UERJ e Presidente Nacional da Juventude do Democratas. Além disso, é coordenador de Juventude da União de Partidos Latino-Americanos e Presidente Adjunto da Juventude da União Democrata Internacional.

0 Comentários

Deixar um comentário

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password