A volta da atração esportiva dominical “Show do Esporte”, no mês de setembro, foi um tremendo acerto por parte da Rede Bandeirantes de Televisão. A jornada fez parte de toda uma geração de apaixonados pelo esporte que a acompanhou com muita satisfação no decorrer das décadas de 80 e 90. Idealizada por Luciano do Valle, em sua primeira versão, encontrou solo fértil na emissora dos Saad após tentativas infrutíferas na Globo e Record. Apesar das ofertas cada vez mais crescentes de canais fechados, streamings e outras plataformas digitais, o desporto, principalmente o futebol, sempre encontrará uma legião de aficcionados onde quer que seja veiculado. Sem contar, que a TV aberta é sempre muito mais acessível e democrática do que as outras opções vigentes. Dentre as novidades apresentadas pela emissora paulista, está a cobertura das partidas do Campeonato Italiano e Alemão.

Há, entretanto, um acontecimento, o qual não podemos deixar em branco. O locutor Cacá  Fernando, no transcurso da narração de Leipzig e Mainz, em 20 de setembro, cometeu um gravíssimo erro de informação. Declarou que o Campeonato Alemão estava sendo transmitido, por intermédio da Bandeirantes, de forma inédita no Brasil em canal aberto, o que não corresponde à verdade. Em realidade, a TV Cultura veiculou a Bundesliga, pela primeira vez em território nacional, entre 1991 e 1994. O mais curioso de toda essa bizarra história é que o próprio Cacá Fernando fazia parte daquela equipe, fato inclusive por ele relembrado na mesma semana em seu Instagram. Na época, os saudosos José Goes e Luiz Alberto Volpe narravam os jogos, acompanhados pelos ótimos comentaristas Gerd Wenzel e José Trajano, os quais posteriormente migrariam para a ESPN. 

A repercussão negativa causou um tremendo mal-estar nas redes sociais. Gerd Wenzel, jornalista alemão radicado no Brasil e estudioso há décadas do futebol alemão, demonstrou surpresa e indignação ao tomar conhecimento do lamentável episódio. O comentarista não perdoou e alardeou “que a Bandeirantes queria reescrever a história”.

“Na realidade o enredo é bem diferente. A Bayer tinha uma verba disponível de US$ 500.000 para investir em apoio a transmissões esportivas pela televisão. Na época, a TV Cultura estava em contato com a Bundesliga. Juntou a fome com a vontade de comer. O presidente da Cultura, Roberto Muylaert, e o jornalista Antonio Alberto Prado, então relações públicas da Bayer, costuraram o negócio e deu no que deu. Bundesliga na TV aberta pela primeira vez”, acrescentou. 

Eu mesmo sou testemunha dessa ótima fase. Durante um curto período a antiga TV Educativa, do Rio de Janeiro, atual TV Brasil, retransmitia parte da programação da emissora congênere de São Paulo, incluindo a Bundesliga. Contudo, por motivos por mim ignorados, houve uma lamentável e súbita interrupção que me levou a assinar os serviços de uma TV a cabo justamente para continuar dispondo do prazer de assistir aos jogos do Campeonato Alemão. Desse modo, tive ainda a alegria de desfrutar da cobertura completa da Copa Africana de Nações, comandada com muito primor pelo jornalista José Trajano. Bons tempos estes que não podem e não devem ser ignorados! 

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui