Foto: Divulgação

Rodrigo Nascimento Alvarez, 47 anos, é carioca, jornalista, que atuou por décadas no cenário internacional como correspondente e tem trabalhos primorosos como escritor, em um total de 12, destacando em seu acervo autoral, os livros No País de Obama, Aparecida e Maria. Essas últimas obras dedicadas ao universo histórico religioso

Tendo essas referências literárias, Rodrigo Alvarez demonstrou credenciais à altura de trabalhar em uma obra que promete marcar os 90 anos de um dos mais emblemáticos símbolos territorialmente instalados na cidade do Rio de Janeiro, mas que representa a imagem do Brasil no exterior e é, inclusive, considerado uma das 7 novas maravilhas do mundo moderno: o Cristo Redentor.

O livro, Redentor, editado pela Globo Livro, representa uma das ações que compõe o ciclo comemorativo das nove décadas que o Cristo Redentor está presente na vida nacional e foi baseado em pesquisa inédita e entrevistas realizadas por Rodrigo Alvarez, cuja narrativa está atrelada a história de sua construção, que mobilizou a sociedade e foi um desafio, muito além do campo da engenharia.

Na orientação desse trabalho, a primeira biografia completa do monumento, inaugurado em 1931, Rodrigo Alvarez, traz uma verdadeira disrupção de mitos e reconstitui a verdadeira história da imagem a partir de documentos raros ou esquecidos, depoimentos e ampla pesquisa nos jornais brasileiros do século XIX ao XX.

Rodrigo Alvarez, iniciou o trabalho considerado por ele mesmo, colossal, em abril de 2021, com data de sua finalização para o processo editorial no início de agosto do mesmo ano, o que o fez, além de contar com uma equipe de excelência e muito enxuta, interromper diversos compromissos para se dedicar a esse projeto.

Foi maravilhoso… o maior desafio – até então – da minha carreira como escritor, nunca tinha administrado tantas informações ao mesmo tempo. A todo momento surgiam novidades. O que levaria no mínimo dois anos de trabalho, conseguimos em poucos meses desenvolver um trabalho que considero muito sólido, de grande envergadura… uma Biografia, com B maiúsculo mesmo!” declara Rodrigo Alvarez.

Foto: Acervo RA – Ana Cristina Nasciutti

Nesse trabalho, Rodrigo Alvarez nos oferece informações preciosas e revela detalhes jamais divulgados, por exemplo, sobre a decisão de fazer um monumento de braços abertos e todo o processo de criação no ateliê de um renomado escultor parisiense. Causa surpresa a revelação de que a ideia de se construir uma imagem de Jesus no alto do Corcovado foi da princesa Isabel. O autor nos conta que abolicionistas queriam homenagear a princesa erguendo uma estátua da “redentora” dos escravos, no Corcovado, mas ela recusou e mandou construir uma ao “verdadeiro Redentor”.

Recheado de momentos emocionantes, Redentor tece a trama política e social que levou um grupo de nacionalistas católicos a se mobilizar para arrecadar caminhões de dinheiro – o que hoje equivaleria a 32 milhões de reais – e convencer a República (que não se sentiam confortáveis na abordagem religiosa e na figura de Deus) a permitir a obra da estátua gigante no morro que os exércitos dos imperadores usavam para vigiar o país.

O livro coloca luz também sobre a relação fraterna do engenheiro brasileiro Heitor da Silva Costa com o escultor francês Paul Landowski, aqueles que ao lado do Cardeal Leme poderiam ser chamados “pais do Cristo Redentor”.

Rodrigo Alvarez também apresenta detalhes da eterna disputa da Igreja Católica com os órgãos federais que administram o entorno do monumento e traz uma narrativa inédita da “retomada” do Cristo Redentor, protagonizada por Omar Raposo, o “padre do Cristo”.

O livro Redentor tem 312 páginas e está disponível tanto em edição física, com valor sugerido de R$ 44,90 (quarenta e quatro reais e noventa centavos) e, também na versão digital, como e-book, no valor de R$ 29,90 (vinte e nove reais e noventa centavos).

Uma obra para cariocas, para brasileiros, para o mundo, conhecer a verdadeira história que estruturou um dos mais importantes monumentos que simboliza a fé da humanidade na vida e em si.

Vamos ler e ampliar nossa cultura e assim, também, celebrar esse verdadeiro patrimônio que convive conosco há 90 anos e nos orgulha por sua beleza de puro acolhimento e proteção de sua presença divina.

Andréa Nakane é carioca, apaixonada pela Cidade Maravilhosa, relações públicas, professora universitária, Doutora em Comunicação Social e Mestre em Hospitalidade.Embaixadora do RJ. Vive há 20 anos em Sampa e adora interagir com pessoas singulares que possam gerar memórias afetivas construtivas.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui