Andréa Nakane: Investir na educação para realizar sonhos

Colunista do DIÁRIO DO RIO conta a história de Cris Sena, empregada domestica que chegou ao Rio ainda jovem e sonha em ser enfermeira

Crispiniana Sena Ferreira, conhecida como Cris, tem 53 anos, é natural da Bahia, mas em função de sua atividade profissional exercida na época, chegou ao Rio de Janeiro e não mais saiu daqui, local que ela investiu em sua educação e hoje está prestes a se graduar em enfermagem, profissão que desde cedo lhe chamou a atenção, sobretudo, por ainda jovem, ter se dedicado aos cuidados de sua avó materna.

Cris Sena vem de uma família humilde, de 11 irmãos e logo cedo impulsionada a conseguir ter mais qualidade de vida para si e para seus entes próximos decidiu ir à luta. Com 20 anos abraçou a oportunidade de viver em uma cidade grande exercendo a função de empregada doméstica.

Nesse tempo todo, Cris Sena exerceu posições de faxineira, diarista, cozinheira, babá, sem esmorecer e sem qualquer tipo de reclamação, pois por meio de seu trabalho honrado tinha a oportunidade de conseguir investir em seu maior sonho, que era justamente, por meio da educação, formar-se enfermeira.

“Sai de casa com meia dúzia de roupas – em uma sacola – em busca dos meus sonhos. Óbvio que não foi fácil, até hoje, não o é, mas são coisas da vida que temos que passar para conquistar nossos objetivos… um deles foi o meu estudo, no qual o coloquei como meu principal pilar… demorou, porém estou chegando ao final da minha grande conquista: meu diploma de Enfermagem.” emociona-se Cris Sena.

A saudade de casa, da família, as concessões que Cris Sena teve que fazer, não são pesos que ela carrega com amarguras ou sofrimentos… pelo contrário, ela demonstra muita gratidão a todas as nuances da sua vida, que a fizeram amadurecer e tornar-se a pessoa que é.

As dificuldades fazem parte da vida humana, por essa razão que nunca pensei em desistir… quando você desiste, você dá um passo para trás, no meu caso, eu sempre quis caminhar para frente visando um futuro melhor. Eu sempre levo uma frase comigo: Quando se sentir fracassado, faça do fracasso sucesso… e vamos em frente!” afirma Cris Sena.

Cris Sena continua trabalhando como cozinheira e babá quinzenal, mesmo ofício que lhe trouxe ao Rio de janeiro, quando era responsável por gêmeos. Mas ela não esconde a euforia e determinação de o quanto antes inserir-se na profissão de enfermagem, ofício que a toda hora remete a simbologia de ser composto por verdadeiros anjos, que com todo amor e dedicação, são elementos cruciais para nosso bem estar e recuperação. Nos últimos anos, em decorrência da pandemia enfrentada, o mundo todo reverenciou esse trabalho tão altruísta e humanitário.

Que Cris Sena consiga logo abraçar plenamente sua vocação e possa legitimamente ocupar seu espaço na enfermagem. 

Que a madrinha da enfermagem no Brasil, Ana Nery a acolha e a inspire continuamente. A gente já agradece seu empenho futuro e a admiramos por sua força de vontade em reconhecer, mesmo entre tantas negações, que só a educação permite tornar nossos sonhos reais. 

E nisso Cris Sena já é diplomada e nos dá uma verdadeira lição! 

Andréa Nakane é carioca, apaixonada pela Cidade Maravilhosa, relações públicas, professora universitária, Doutora em Comunicação Social e Mestre em Hospitalidade.Embaixadora do RJ. Vive há 20 anos em Sampa e adora interagir com pessoas singulares que possam gerar memórias afetivas construtivas.
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui