Bayard do Coutto Boiteux, 61 anos, carioca, morador da Barra da Tijuca, apesar de ser graduado e titulado em diversas áreas do conhecimento, gosta de se apresentar como cidadão do mundo, seu eterno aprendiz, já que busca de forma sedenta ampliar sempre sua vasta sabedoria, alcançada com muita disciplina e indúctil determinação.

Ele é um educador nato e referendado para isso, tem passagens importantes como gestor e docente em instituições do ensino superior, abraçando a bandeira do Turismo e Hospitalidade. Mas a fotografia em sua vida tem um lugar especial, muito além de um hobby apaixonante.

Eu tento captar o que o meu coração manda, o que a minha visão me enseja. Eu busco na fotografia uma forma de revelar o mundo, a humanidade, as pessoas, sem técnicas, busco apenas aquilo que está a minha frente, misturando emoção e razão” declara, Bayard Boiteux.

Bayard Boiteux tem uma coletânea imensa de passaportes carimbados em visitas por mais de 200 países, porém ele esclarece que considera que tenha realmente uma ligação maior somente com 70 países, já que nesses ele intensificou sua experiência, estando mais próximo da sua cultura, costumes e tradições. E sempre ao seu lado, a fotografia marcou presença, buscando registrar tais aventuras e tudo que o sensibilizava, no intuito de gerar, ainda mais, memória afetiva dessas vivências, e também, disseminá-las de forma coletiva, não guardando para si, tais tesouros. E com toda sua visão global, ele explicita um dos seus cenários prediletos para fotografar.

A cidade do Rio de Janeiro com a fotografia tem um casamento perfeito, um misto de cultura e natureza, um misto de descobertas, de pura contemplação, que ao ser registrada torna-se perene e ganha maior dimensão”, reflete Bayard Boiteux.

Bayard Boiteux, apesar de todas as mazelas relacionadas a pandemia do Covid-19, inclusive uma depressão, foi produtivo em sua veia literária, lançando seis livros desde março de 2020. E agora no próximo dia 29 de maio, no canal do youtube da Associação dos Embaixadores de Turismo do Rio de Janeiro, às 18h30min lançará mais um título, Mania de Fotografar o RIO, pelo selo CRV editora, www.crv.com.br.

Além disso, Bayard Boiteux também aproveitou o tempo de maior reclusão em casa para investir em projetos gráficos, tendo a fotografia sua matéria prima para inúmeras colagens artísticas, o que lhe possibilitou uma nova forma de exercitar sua sensibilidade e assim, favorecer também a passagem criativa e performática nesse período tão dilacerante para tantas pessoas.

Bayard Boiteux não pretende parar e já vislumbra novos projetos, que lhe traga uma plena satisfação pessoal, simultaneamente ao fato de conseguir atingir o coletivo, já que acredita que as expressões vinculadas à Arte são não só demonstrações do que seja belo e encantador, mas também, maneiras de disseminar educação, cultura e emoções.

Para quem quer fazer parte desse grupo, vale a pena seguir Bayard Boiteux pelas redes sociais – @bayardboiteux, instagram e no facebook Bayard do Coutto Boiteux –  e permitir-se ser tocado por um olhar de quem sabe que compartilhar pensamentos, imagens e detalhes gera prazeres que extrapolam uma visão individual e tornam-se preciosidades acessíveis a todos.

E nessa travessia de grandes angústias vivenciadas por todos, isso se torna um verdadeiro bálsamo reconfortante, edificante e esperançoso, que aos olhos da maioria, frente a tantos horrores, extrai delicadezas que iluminam delicadamente nossas pupilas e expandem nossas mentes.

Andréa Nakane é carioca, apaixonada pela Cidade Maravilhosa, relações públicas, professora universitária, Doutora em Comunicação Social e Mestre em Hospitalidade.Embaixadora do RJ. Vive há 20 anos em Sampa e adora interagir com pessoas singulares que possam gerar memórias afetivas construtivas.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui