Quando um paulista e uma baiana associam-se em prol da educação, cultura, lazer e arte dirigidos à crianças e adolescentes, o resultado só pode ser valoroso e inspirador.

Hugo Alaor Vigas, 40 anos e Mila Santos, 41 anos são amigos e fundadores do Além do Morro, um  projeto social construído pela comunidade e para a comunidade, com o objetivo de oferecer educação popular e gratuita para os jovens das comunidades do Chapéu Mangueira e Babilônia, ocupando seu tempo ocioso e afastando-os da criminalidade e tráfico de drogas.

“Atualmente atendemos mais de 70 crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade e risco social,  nas favelas do Chapéu Mangueira e Babilônia, no Rio de Janeiro, promovendo o acesso à educação, arte, cultura, lazer e esporte.” explica Mila Santos, que tem formação em magistério.

O começo foi durante o cume da pandemia na cidade do Rio de Janeiro, por meio de uma postagem no Facebook que divulgava uma troca de livros entre moradores. A repercussão foi tão positiva que decidiram organizar um espaço ao ar livre para a democratização da leitura.

O começo foi em uma praça e em janeiro de 2021, foi cedido na comunidade do Chapéu Mangueira, uma casa, que estava fechada há 9 anos, que precisou passar por uma série de reparos para que se transformasse na Casa da Árvore, uma biblioteca comunitária.

Todas as ações são lideradas por voluntários que se dedicam na formatação de oficinas e atividades ofertadas pelo projeto, que conta apenas com doações para continuar seu trabalho altruísta e atingir mais públicos.

As doações realizadas colaboram para custear a alimentação dos jovens e também para a manutenção da biblioteca comunitária, que divide seu espaço para a realização da programação do Além do Morro.

Outra forma de obtenção de receitas é o brechó que foi instalado na localidade, chamado de brechó favela chique, onde são recebidas doações de roupas, sapatos, bijouxs, entre outros itens. Inclusive empresas doam peças com defeitos e costureiras da comunidade as reformam para serem comercializadas. Roupas de crianças são diretamente doadas e não vendidas.

E em breve, o Além do Morro irá lançar uma rádio comunitária e nesse momento a energia está toda voltada para viabilizar a montagem dessa iniciativa.

Quem quiser conhecer mais o trabalho do Além do Morro pode seguir @projeto_alem_do_morro, no Instagram e acompanhar todas as atividades e quem sabe também contribuir com o que for possível, seu tempo, seu expertise, peças para o brechó, doações para a rádio comunitária, enfim, toda a ajuda é muto bem vinda e será muito bem utilizada.

É notório que o Estado não chega totalmente onde deveria estar presente e ter ações como essas são demonstrações evidentes que a sociedade civil não se abate e busca com toda proatividade, criatividade e responsabilidade gerar soluções que proporcionem dignidade e solidariedade … muito além do asfalto, do morro… atingindo diretamente o coração e a mente de todos!

Bora colaborar?

Andréa Nakane é carioca, apaixonada pela Cidade Maravilhosa, relações públicas, professora universitária, Doutora em Comunicação Social e Mestre em Hospitalidade.Embaixadora do RJ. Vive há 20 anos em Sampa e adora interagir com pessoas singulares que possam gerar memórias afetivas construtivas.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui