Andréa Nakane: Um Carioca-Alfacinha, com Certeza!

Há 41 anos, Raul de Orofino desenvolve sua bem sucedida carreira nas artes cênicas, como ator, autor e diretor teatral, além de ser palestrante, professor de Inteligência Emocional e escritor de livros

Foto: Divulgação

Raul Antonio Orofino, conhecido artisticamente como Raul de Orofino, tem 60 anos, é natural do Rio de Janeiro, mas em função de oportunidades profissionais, vive na ponte aérea, além do mar, Rio-Lisboa, há cerca de 20 anos, configurando-se como um carioca-alfacinha. Sim, alfacinha é o termo dado a quem nasce na capital de Portugal. Segundo alguns dos habitantes dessa cidade, o apelido se deve ao fato de eles serem pacíficos e pequenos. Outros falam que suas sacadas viviam cheias dessas hortaliças, fato peculiar que tornou-se símbolo do local.

Há 41 anos, Raul deOrofino desenvolve sua bem sucedida carreira nas artes cênicas, como ator, autor e diretor teatral, além de ser palestrante, professor de Inteligência Emocional e escritor de livros. Ele inclusive, não esconde, envaidecido, que tem como madrinha, uma das mais brilhantes e cativantes atrizes do Brasil, Irene Ravache, que foi muito importante na consolidação de sua trajetória, despertada, desde menino.

“Quando pequeno, desenhava os personagens que eu via na televisão em seriados e criava novas histórias para eles. A partir de 13 anos na Escola Sá Pereira, no Rio de Janeiro, comecei a fazer teatro amador e aí não parei mais e aos 18 anos me profissionalizei.”, declara Raul de Orofino.

Portugal surge como destino de trabalho, em uma imersão européia que Raul de Orofino fez com seu pai, Nicolino Orofino, de origem italiana, e que após o baque do falecimento de sua esposa, acompanhou o filho em uma viagem à Europa, para reconectar-se com suas origens e expandir novos destinos em seus horizontes.

“Da Itália, fomos para Portugal, e lembro que meu pai me disse: eles falam a mesma língua, talvez gostem do teu trabalho. Cheguei lá, enviei 30 comunicados, via fax, a tecnologia na época… para 30 empresas, três pediram orçamento e uma delas me contratou, que foi o Hotel Sofitel Lisboa, e assim, começou a minha história lá, e não parou mais. Não morei lá de imediato, fiquei 3 anos e meio indo e voltando, eu tinha muitos clientes no Brasil. Quando comecei a trabalhar na Espanha, em 2002, aí decidi que queria morar lá.”, relembra, Raul.

A decisão de dividir-se entre as duas cidades, tem a prerrogativa de ficar mais próximo ao seu pai, que hoje, tem 96 anos, muito bem disposto e alegre. A convivência virtual ajudou a diminuir a saudade, mas nada como estar junto, sob o mesmo teto, no seu amado bairro de Botafogo.

Com a bagagem internacional conquistada, Raul de Orofino acredita que isso gere ainda mais atração por seu trabalho, considerado até mesmo novo no Brasil, já que ele leva o teatro para as residências e para empresas, em um portfólio recheado de temas que mexem com as pessoas.

A forma que faço, com afeto e humor, é algo que toca muito as pessoas, pois falo de histórias familiares, isso gera imediatamente identificação com elas e as levam a reflexões construtivas. Quero trazer novamente o “Teatro a Domicílio” para o Brasil. Nesse momento de violência estar em casa com os amigos é uma segurança também, e mais que isso, é o prazer de ter a arte na tua casa. Isso é milenar, é do homem ter pessoas em suas casas apreciando a arte seja ela, Teatro ou Música. Os saraus foram isso durante séculos!”, afirma Orofino.

Vale lembrar queRaul de Orofino,criou o inovador projeto de Teatro ao Domicílio, em 1990, e, em 1993, representou a bordo de um voo comercial, tornando-se a primeira pessoa a fazer teatro “nas nuvens”. Nascia, assim, mais um projeto criativo, o Teatro a Bordo de Aviões, feito que lhe mereceu uma menção na revista norte-americana Time Magazine.

Além do plano de retomada do Teatro à Domicílio, sempre integrando os dois países, as duas cidades, nas quais Raul de Orofino já está super entrosado, inclusive tendo a vantagem de ter maior mobilidade a qualquer outro país europeu, ele pretende participar como ator em séries, em streamings, em filmes e até mesmo, modelar em estúdios ou passarelas, pois tem sido convidado para ensaios e jobs desse tipo em função de sua idade madura e experiência.

Atualmente no Brasil, Raul de Orofino (@rauldeorofino) tem cumprido agenda de trabalho intensa, mas no próximo domingo, celebrando o dia dos pais, a data já está fechada para curtir ao lado de seu pai querido, carinhosamente chamado de Seu Nicola, bons momentos, reforçando seus laços de ternura e aumentando a memória de sua bagagem afetiva para quando chegar a hora de retornar à Lisboa, porém, já deixando programada a volta ao Rio, claro!

Assim, Raul de Orofino, tornou-se um cidadão do mundo, com um pé, cá no Rio e outro em Lisboa, mas deixando seu coração na cidade que nasceu, se criou e que acolhe o seu bem querer mais precioso e amado.

Que todos, assim como o Raul de Orofino, possam extravasar seu amor e admiração pelos verdadeiros heróis, que sem vestir capa, são referências de coragem, sagacidade e disciplina para seus filhos. Estejam eles por aqui ou já em outra dimensão espiritual.

Um lindo e cativante Dia dos Pais para toda a família!

Andréa Nakane é carioca, apaixonada pela Cidade Maravilhosa, relações públicas, professora universitária, Doutora em Comunicação Social e Mestre em Hospitalidade.Embaixadora do RJ. Vive há 20 anos em Sampa e adora interagir com pessoas singulares que possam gerar memórias afetivas construtivas.
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui