N.E.: pedi ao Bruno Kazuhiro, grande blogueiro responsável pelo Perspectiva Política, para analisar os dados da enquete que o Diário do Rio fez neste fim de semana com seus eleitores. Só discordo dele sobre dizer que os leitores do Diário representam o eleitorado fluminense, acho que representa os moradores da capital e ainda assim os da classe média, o que explicaria Garotinho não ter a mesma proporção de pesquisas recentes. Vamos ao texto de Kazuhiro.

Votos Pizza Uma enquete feita pelo Diário do Rio apresentou aos leitores a seguinte questão:  Em quem você votaria para Governador do Rio de Janeiro?

 

Pois bem. Os nomes apresentados eram Cesar Maia, Fernando Gabeira, Sérgio Cabral, Lindberg Farias e Anthony Garotinho, ou seja, os pré-candidatos mais cogitados. Existia, ainda, a opção "Outro".

 

Encerrada a votação, chegou-se ao seguinte resultado:

Fernando Gabeira – 32%

Sérgio Cabral – 28%

Cesar Maia – 18%

Anthony Garotinho – 13%

Lindberg Farias – 5%

Outro – 4%

 

Analisando-se este resultado e partindo do pressuposto de que os leitores do Diário do Rio, de alguma forma, representam um grupo que pode, proporcionalmente, representar muito bem o eleitorado fluminense, podemos tirar algumas conclusões.

 

Primeiramente, resta claro que um candidato da oposição ao governo de Sérgio Cabral estará no segundo turno. Seja ele Fernando Gabeira ou Cesar Maia.

Vale ressaltar ainda que, construída a divulgada união que vem sendo trabalhada entre os partidos que se opõem a Cabral no Rio, o candidato desta pode, até mesmo, vencer o primeiro turno e entrar no segundo com boa vantagem, visto que a soma dos votos de Fernando Gabeira e Cesar Maia totaliza 50%.

 

Em segundo lugar, pode ser observada a fragilidade do nome de Sérgio Cabral que, embora em segundo lugar, apresenta um percentual de intenção de votos extremamente aquém daquele que normalmente é apresentado por governadores que tentam a reeleição.

 

Aparentemente, a exploração, em benefício de sua imagem, que vem sendo feita pelo Governador com relação ao Projeto Rio 2016 não é páreo para competir com a baixa aprovação de Cabral, principalmente na Baixada Fluminense, com a má avaliação do governo estadual como um todo e com as péssimas notícias que a segurança pública, a saúde e a educação têm apresentado.

 

Por fim, observa-se que Anthony Garotinho tem uma candidatura viável que, se concretizada, poderá enfraquecer ainda mais o projeto de reeleição de Cabral, afinal, o ex-Governador penetra em um eleitorado que, sem esta opção, poderia optar pelo atual Governador.

 

Possivelmente, a viabilidade de Garotinho advém, justamente, da desaprovação de Cabral. É possível comprovar esta tese quando analisamos que os municípios onde Garotinho é mais forte são, justamente, aqueles em que Cabral decepciona mais.

 

Em resumo, os candidatos da oposição ao governo Cabral têm tudo para dar muito trabalho em 2010, podendo, inclusive, principalmente se caminharem unidos, vencer as eleições. Além disso, o advento da candidatura de Anthony Garotinho e a possibilidade de termos ainda o racha entre PMDB e PT, com a candidatura de Lindberg Farias, podem desmantelar a base partidária sobre a qual se apóia o atual governo.

 

Os índices de intenção de voto do atual Governador não dão muito alento para alguém que terá de enfrentar estes e outros desafios em 2010.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui