Lembra da Fábrica do Sabão Português, na Avenida Brasil? Até contamos a história dela aqui. No início deste ano, em janeiro de 2018, a Sérgio Castro Imóveis conseguiu realizar a venda do imóvel, detalhe que antes de ir para a mão da imobiliária, ficou a venda por 10 anos, a situação da fábrica era tão enrolada que até a Prefeitura do Rio desapropriou e depois se arrependeu, e nessa quinta, 20/12, vai virar um Assaí Atacadista, que promete revitalizar e transformar o terreno em um grande polo comercial da cidade do Rio de Janeiro.

A rede, que já possui outras 16 unidades no Estado e é uma das maiores do segmento de atacado de autosserviço do País, investiu R$ 50 milhões na implantação da loja e gerou aproximadamente 600 empregos diretos e indiretos na região.



Localizada estrategicamente na Avenida Brasil nº 2391, na altura de Benfica, a loja está na principal via expressa do Rio, próximo à Linha Vermelha e em um ponto de fácil acesso a diversas regiões da cidade, a outros municípios do estado e importantes destinos, como aeroporto e rodoviária. A nova loja vai beneficiar os moradores do entorno com novos serviços e promete atender os mais de 250 mil veículos que cruzam a via expressa diariamente. A unidade terá mais de 5,6 mil m² de salão de vendas, estacionamento totalizando 370 vagas, 30 check-outs, iluminação em led e mais de 7 mil produtos entre itens de mercearia, alimentos, perecíveis, embalagens, bazar, higiene, bebidas e limpeza.

Além disso, o projeto arquitetônico da loja manteve chaminé tombada da antiga fábrica, preservando suas características originais, que por décadas representaram a prosperidade da região e simbolizam um pouco da história do Rio, atrelada ao desenvolvimento do passado com prenuncio de um futuro próspero para a região.

Outro grande diferencial da rede, que promete agitar o comércio local, é a política de preços competitivos, em média 15% mais baratos em relação ao mercado do varejo tradicional, de acordo com dados da Nielsen. “Nós acreditamos que um dos atrativos das lojas do Assaí é a política de dois preços. A partir de pequenas quantidades já é possível comprar produtos com valores competitivos”, destaca Belmiro Gomes, Presidente do Assaí Atacadista.

Além disso, o Assaí também disponibiliza o seu cartão de crédito próprio, o Passaí, que pode ser adquirido diretamente nas lojas mediante avaliação de crédito. Com o cartão, os clientes têm a vantagem de pagar o preço de atacado comprando apenas uma unidade de determinado produto, ou seja, não é preciso adquirir uma quantidade mínima definida para aproveitar a economia proporcionada nas compras em atacado. Esse benefício é inédito no segmento de atacado de autosserviço do Brasil.

15 COMENTÁRIOS

  1. Uma das melhores coisas que está acontecendo na localidade .amei ,moro próximo e ia faço compras a um ano no Assaí na ilha do governador ,e agora vou pertinho de casa .que tudooooo…

  2. Deveriam ter preservado mais a antiga construção, principalmente a parte principal com o letreiro da UFE e a cruz. Lamento que toda a fábrica não tenha sido preservada. Porém foi melhor um supermercado do que “Minha Casa, Minha Vida” para dar apartamento de graça a bandidos e favelados.

  3. E o lado bom? Abra sua dignidade e solidariedade social. São Cristóvão Rj precisa de ressurgir para os nossos conteporaneos . Relaxa vamos acreditar que o bem vai com certeza diminuir o mal .

  4. Espero que a prefeitura do Rio faca as suas responsabilidades.
    PARABÉNS AO NOSSO ASSAI ATADISTA por dar aos cariocas um belo presente de natal esperado a mais de dez anos

  5. Espero que a prefeitura do Rio faça as suas responsabilidades.
    Quanto ao Assai tá de parabéns por dar aos cariocas um belo presente de natal que eles esperavam a mais de dez anos que nem a prefeitura quis dar quando desapropriou e desistiu.
    PARABÉNS ASSAI ATACADISTA!!!!

  6. Espero que fabriquem um aspirador de pó com capacidade para aspirar todo a poeira do local. Que a ruas sejam lavadas e calcadas arrumadas. Fabriquem um tampao de ouvido suficiente para diminuir todo o Barulhos da Linha Vermelha , Avenida Brasil e Rua Bela e favelas com tiroteios. Espero que a sujeira que A Colurb incansavelmente retira da Rua Bela melhore e arrumem um local adequado para os caminhões da Colurb pararem se parar o transito para trocar e retirar o Lixo. Espero organizem as paradas de ônibus para ao povo esperar o ônibus e passagem para os pedestre atravessar as ruas com segurança seja resolvido. Espero que músicas, sambas e foros respeite o silêncio dos moradores locais. Espero que um choque de ordem para carros estacionados sobre as calcadas. Gostaria de saber também se estava proibida caminhões trafegar pela Avenida Brasil e agora porque o Supermercado ASSai pode? Se esse Supermercado tem uma linsenca ambiental se alguém mediu o nível de aquecimento que os caminhões e carros trazem para a região ? Conclusão aumentando a poeira gastamos mais agua e temos que pagar mais. Aumentando o calor que já é insuportável na região gastamos mais luz ainda paga mais. Qualquer coisa no local é bem vindo e melhor do que era antes e boa sorte.

    • Fala sério né….vc pergunta prós mercados da favela se tem limpeza??? Se produtos são roubados??? Para de gracinha eles comprar um terreno construíram e ponto final…agora vc quer que eles de conta de algo que não os compete….continua comprando nos lixos de mercados que tem em São Cristóvão….

    • Para de reclamar isso parece pura inveja. A gente vai ter um hipermercado ótimo nas redondezas. Será ótimo pra quem mora em são Cristóvão e Benfica E licença é assim que se escreve. Vai evoluir ao invés de reclamar da vida.

  7. Muito Boa a iniciativa pois sou carioca e está fabrica passou muitos anos fachada, sem falar na oportunidade de emprego para muita gente com a crise que o país esta passando. Mais uma vez parabéns.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui