Niterói (Foto: Reprodução)

Os municípios do Rio de Janeiro e de Niterói pareciam alinhados no enfrentamento a Covid-19 no estado do RJ, porém, o que se viu de ontem para hoje foram decisões distintas das administrações das cidades da região metropolitana do estado em relação a pandemia do Coronavírus.

Enquanto a Capital Fluminense afrouxou as medidas restritivas, permitindo a abertura de bares e restaurantes a partir de sexta-feira (09/04), Niterói não só decidiu manter as regras até 18 de abril como as tornou mais rígidas.

As novas determinações, publicadas no Diário Oficial e assinadas neste sábado (10/04) pelo prefeito Axel Grael (PDT), estabelecem que que “a saída da residência deve se dar apenas por motivos de trabalho, compra de gêneros alimentícios, ida a farmácias, por motivos médicos o para ida a estabelecimentos cujo funcionamento esteja permitido, por conta de atividade permitida”, diz um trecho da publicação.

A entrada de táxis e veículos de aplicativos de outras cidades está proibida. Bares e restaurantes só poderão funcionar com serviços de delivery, e o take away, até então permitido, agora está vetado. Aulas presenciais só estão liberadas para a educação infantil. Missas, cultos e demais atividades religiosas podem ser realizadas de forma presencial, com até 10% da capacidade, até que ela atinja o máximo de 100 pessoas.

Axel Grael justificou a decisão: “Nós estamos vivendo o pior momento dessa pandemia, com número de óbitos chegando a níveis inesperados lá no início dessa crise. Não podemos esquecer que estamos passando por um momento muito difícil em Niterói. No momento, a taxa de ocupação nas UTIs públicas está em 82% e 90% nas privadas”, disse o prefeito.

A norma também prevê a suspensão do atendimento presencial, de qualquer natureza, em bares, restaurantes do tipo bufê ou self-service, cafeterias e congêneres, boates, danceterias, salões de dança e casas de festa, museus, galerias, bibliotecas, cinemas, teatros, casas de espetáculos e salas de apresentação. Os banhos de mar e de sol na orla seguem proibidos.

O mesmo vale para salões de cabeleireiro, barbearias, institutos de beleza, estética e afins, clubes sociais e esportivos, serviços de lazer, quiosques em geral, parques de diversões, temáticos e circos, academias de ginástica, lutas, danças, bancas de jornal.

Há também mais restrições para supermercados que, neste período só poderão vender produtos considerados essenciais, como alimentos e itens de higiene e limpeza. Na quarta-feira, o Hospital Oceânico, arrendado pelo município exclusivamente para pacientes com o novo coronavírus, atingiu 121 pacientes internados, o maior número desde o início da pandemia.

De acordo com o Painel Coronavírus Covid-19 da Secretaria de Estado de Saúde, a cidade tem 92% de taxa de ocupação de leitos de terapia intensiva e 83% nos de enfermaria para Covid-19. Segundo o Mapa de Risco por Município, a cidade está com bandeira roxa, a de mais alto risco para a doença.

RJ registra a maior média móvel de mortes desde o início da pandemia

Pela quarta vez em apenas 10 dias, o RJ bateu recorde de mortes por conta da pandemia de Coronavírus. A alta no número de óbitos foi calculada com base na média móvel e registrou 381 vítimas fatais em 24h.

A média atingiu 26 mortes por dia, 30 a mais que o recorde anterior, de terça-feira (06/04), e uma variação de 80% em relação há duas semanas, o que aponta tendência de alta.

6 COMENTÁRIOS

  1. As pessoas não podem morrer de COVID, mas podem morrer de fome? Um prefeito que toma medidas tão rígidas sem ao menos pensar no outro lado do povo. Pessoas desempregadas, perdendo emprego, passando fome e não sendo permitidas de saírem pra ir na rua para trabalhar e por comida na mesa. Vivemos um momento difícil e vejo apenas os governadores cagando para a doença e agindo de forma injusta e precipitada com as pessoas… falam que estão fazendo o máximo para salvar vidas e a carne no mercado as 50 reais, galinha a 15… nenhum preparo do governo, agora vamos morrer de fome ou de covid.

  2. Existe uma pressa inaceitável em colocar as escolas com profissionais sem vacinação …sem proteção…essa categoria fundamental a toda sociedade , precisa de cuidados.

  3. Impressionante,TD fechado só serviços excenciais funcionando e a cobrança de estacionamento nas ruas de Niterói a todo vapor,pelo visto a arrecadação é serviço excencial!

  4. Os Prefeitos estão fazendo o que podem , para não verem em seus estados e municípios o número de obitos aumentar.
    Enquanto o bobo da corte está preocupado em visitar empresarios fazendo politicagem.
    Sem noção nenhuma .

  5. De q adianta com SG tudo aberto ? Nada. O povo tá saindo de Niterói enviando aqui em SG comprar as coisas. Esses dias o Partage q costuma ser vazio tava lotado. O povo vem pra SG pega e leva pra Niterói. Não adianta nada. Só prejudica o comércio de Niterói. Lojas grandes q tem filial em SG e outros municípios os funcionários estão tudo indo pras lojas de lá, inclusive os q moram em Niterói. Então não vai fazer diferença na saúde. Só na economia.

  6. O Prefeito Eduardo Pães parece não ter ainda percebido que não é só sobre numero de leitos disponíveis,mas sobre a vida das pessoas.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui