Foto: Reprodução Internet

O compositor e escritor carioca Aldir Blanc, de 73 anos, morreu por causa da Covid-19, na madrugada desta segunda-feira (4/05). O artista estava internado no Hospital Universitário Pedro Ernesto, em Vila Isabel, Zona Norte do Rio.

No dia 10 de abril, o compositor deu entrada na CER do Leblon com infecção urinária e pneumonia, que evoluíram para um quadro de infecção generalizada.

Cinco dias depois, a partir de uma campanha de amigos e artistas para conseguir um leito na rede pública de saúde do Rio, Blanc foi transferido para o Hospital Pedro Ernesto.

Na unidade, chegou a apresentar sinais de melhoras, mas como seu estado era muito grave, foi mantido sedado o tempo inteiro.

Vascaíno e salgueirense, Blanc deixa um legado culturas inestimável para a música e a literatura. Autor de vasta obra artística, como “O Bêbado e a Equilibrista”, feita com João Bosco e eternizada na voz de Elis Regina.

Felipe Lucena, diretor de redação do DIÁRIO DO RIO, conta uma história sobre Aldir: “Eu escrevia para uma revista de música, a Choro Carioca, e fui entrevistar Cristóvão Bastos, parceiro de Aldir Blanc na música ‘Resposta ao tempo’. Cristóvão disse que Aldir, ao ouvir a música no piano, pegou papel e lápis e, imediatamente, escreveu a letra, como se tivesse chegado de forma divina. Algo incrível para uma poesia desse nível. Agora, com certeza, ele vai fazer dessas divindades em outro plano”.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui