Foto: Carlos Magno

Afastado do cargo de governador, Wilson Witzel deveria ter o salário cortado em um terço, no entanto, não foi bem isso que aconteceu. Beneficiado por uma decisão do governador em exercício, Cláudio Castro, que resolveu aumentar o próprio salário, o de secretários e de subsecretários, Witzel ganhou um aumento de 11%. Castro alega que os novos valores estão previstos em uma lei aprovada em 2014, que está em vigor.

No início de novembro, o Tribunal Especial Misto, que julga o processo de impeachment do governador do Rio, votou pela redução salarial de Witzel. Na mesma data, foi determinada a saída de Witzel e sua família do Palácio das Laranjeiras.

O governador afastado, a mulher e os filhos voltaram a morar no Grajaú, na Zona Norte, mas, mesmo com a publicação da decisão no Diário Oficial do dia 10 de novembro, o salário não foi cortado.

Segundo informações do portal de notícias G1, o salário bruto de novembro, R$ 19.681,00, manteve os valores que Witzel ganhava quando ainda trabalhava como governador. O valor líquido, que entrou na conta dele, foi de R$ 14,6 mil. Se fosse cortado em um terço, o valor bruto cairia para R$ 13.186,50. A remuneração de dezembro já está na folha, mas ainda não foi depositada.

Com o aumento de 11%, o valor bruto do salário do governador afastado será de quase R$ 22 mil. Na conta de Witzel, o Estado vai depositar cerca de R$ 16,3 mil.

O que dizem os citados:

O Governo do Estado disse que foi notificado na terça-feira (05/01) e que vai cumprir imediatamente a decisão.

O Tribunal Especial Misto informou que a determinação deveria ter sido cumprida desde o dia 10 de novembro, quando foi publicada no Diário Oficial e ressaltou que o Governo do Estado já havia sido notificado anteriormente.

Já a defesa do governador afastado informou que apresentou, na quarta-feira (06/01), uma petição ao Tribunal Especial Misto para devolver o valor recebido indevidamente no mês de novembro.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui