Nesta quinta-feira (06/05), o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM Rio) será reaberto ao público, com a exposição Estado bruto, que transforma a totalidade do Salão Monumental e algumas áreas do terceiro andar numa espécie de jardim de esculturas.

Reunindo 126 obras tridimensionais do acervo, entre elas 24 peças não exibidas há mais de 20 anos, a mostra explora as possibilidades deste encontro e a unidade que dele resulta. O conjunto selecionado – de 107 artistas de diferentes épocas, geografias e linguagens – revela a abrangência e a diversidade das coleções do museu. A curadoria é de Beatriz Lemos, Keyna Eleison e Pablo Lafuente.

Exposição Estado Bruto | Foto: Divulgação

Diferentes poéticas de artistas como Amilcar de Castro, Alberto Giacometti, Auguste Rodin, Angelo Venosa, Celeida Tostes, César, Cildo Meireles, Constantin Brancusi, Franz
Weissman, Lina Kim, Lydia Okumura, Lygia Clark, Márcia X, Maria Martins, Mestre Didi,
Nelson Leirner, Nuno Ramos e Tunga se agrupam de modo a criar paralelos entre o espaço expositivo e a reserva técnica.

Estado bruto é uma exposição que trata da materialidade escultórica e do ambiente das reservas técnicas de um museu. Aqui nos interessa evidenciar o acúmulo como ponto de reflexão e potencializar a imagem da multidão. A montagem nos possibilita vivenciar uma outra espacialidade entre espectador e obras, ao trazer grandes volumes escultóricos na altura do chão ou em agrupamentos por núcleos. As reservas do MAM Rio foram abertas para que obras pouco conhecidas do grande público, ou que não foram expostas há décadas, possam respirar e ser vistas”, avalia a curadora Beatriz Lemos.

Fayga Ostrower e Marcos Chaves: as imagens que nos contam

Continuam em cartaz no museu as exposições Fayga Ostrower e Marcos Chaves: as imagens que nos contam.

Fayga Ostrower | Foto: Divulgação

Com cerca de 60 trabalhos – entre gravuras, aquarelas, desenhos, tecidos e joias – a exposição Fayga Ostrower explora a pluralidade da produção da artista e aborda sua prática em educação, desenvolvida no período em que lecionou no Bloco Escola do museu carioca. A curadoria é um projeto conjunto da equipe curatorial do museu, com Beatriz Lemos, Keyna Eleison e Pablo Lafuente, e a gerência de Educação e Participação, com Gilson Plano, Daniel Bruno e Shion Lucas.

Marcos Chaves: as imagens que nos contam | Foto: Divulgação

Já a exposição “Marcos Chaves: as imagens que nos contam” reúne cerca de 70 obras do artista carioca, das últimas quatro décadas. Ocupando grande parte das galerias do Bloco Expositivo, a mostra oferece um panorama da obra de Chaves e revela as diversas facetas de sua prática, desde a fotografia e o vídeo a grandes instalações e objetos modificados. A curadoria é um projeto conjunto da equipe curatorial do museu, com Beatriz Lemos, Keyna Eleison e Pablo Lafuente.

Serviço:
MAM Rio

Av. Infante Dom Henrique, 85, Aterro do Flamengo – Rio de Janeiro
Tel: (21) 3883-5600
Site: www.mam.rio
Instagram: @mam.rio
Horários:
Quinta e sexta, das 13h às 18h
Sábado e domingo, das 10h às 18h
Ingressos:
Contribuição sugerida, com opção de acesso gratuito.
Adultos: R$ 20
Idosos, crianças e estudantes: R$ 10
Ingressos on-line: www.mam.rio/ingressos

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui