Depois de anunciar o fechamento do restaurante Sal Gastronomia e a demissão de 200 funcionários no Rio, o chef Henrique Fogaça fez duras críticas aos critérios para se manter o estabelecimento no Shopping Village Mall, na Barra da Tijuca, onde ficava localizado o restaurante, dizendo que “Shopping explora e suga tudo“.

Em resposta, o grupo Multiplan, responsável pela administração do ponto comercial, emitiu um comunicado contestando às declarações do dono do Sal Gastronomia. A empresa negou ter sido inflexível nas negociações e afirma ter auxiliado o restaurante a abrir uma unidade no shopping, na Barra da Tijuca, em 2018, além de declarar ter concedido “enormes vantagens para seus lojistas” no início da crise gerada pela pandemia do novo coronavírus.

A Multiplan fez substancial aporte em dinheiro para custear as instalações, e ajustou condições especiais na locação, que na época mostraram-se totalmente vantajosas para ele e seus demais sócios, e foram aceitas por todos. Durante esses quase dois anos inexistiu qualquer questionamento, e pedidos pontuais foram analisados e discutidos sempre de comum acordo“, diz trecho do comunicado.

Sobre as condições oferecidas, o grupo afirma: “No mês de março, onde o Villagemall funcionou 15 dias, foi cobrado 50% do aluguel e encargos condominiais comuns, sendo isento o fundo de promoção. Nos meses de fechamento total do shopping, foi cobrado 50% dos encargos condominiais comuns, e isento o aluguel e fundo de promoção“.

A empresa também declarou que um dos sócios do restaurante pleiteou novo auxílio recentemente e foram concedidas condições especiais para os seis meses subsequentes à reabertura do shopping. Assim, declarou ser “inaceitável um locador como a Multiplan receber críticas e afirmações falsas e despropositadas”.

O comunicado ainda ressalta: “O que emerge com contundente clareza é que, na falta de melhores argumentos que justifiquem o seu fracasso no Rio de Janeiro, o Sr. Fogaça procura criar um clima falso e artificial para fugir das obrigações contratuais que decorrerão da sua decisão unilateral de rescindir o contrato“.

Recentemente, publicamos matéria em que o fundador do Grupo Multiplan atacava os governadores pelas medidas de isolamento social. Veja a matéria aqui. José Isaac Peres chegou a dizer que o fechamento do comércio era “uma loucura generalizada”, e disse que os governadores eram “tiranos”.

Hoje, o jurado do “MasterChef Brasil” gravou um vídeo dizendo para as pessoas não se desesperarem, além de afirmar que suas declarações anteriores foram “forma de desabafo e um pouco de raiva de tudo o que estamos vivendo“.

Os outros restaurantes de Henrique Fogaça no Rio, Sal Grosso e a Casa de Carnes do Fogaça, permanecem fechados e realizando entregas durante o período de isolamento.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

12 COMENTÁRIOS

  1. Esse Fogaça é uma farsa. Seus empreendimentos não são muito diferentes. Em 2016 fui num pé sujo dele chamada Cachorro Velho. O melhor boteco da glam rockers que já visitei. Localização privilegiada e valet. A hostess era uma gracinha e fazia um cosplay maravilhoso da Mortícia Addams (do filme). Pedi um Vira-Latas (capirinha e devia ser o nome do Boteco #ficadica) e as asinhas de frango fritas com molho apimentado. Eles entregaram as asinhas malpassadas. Inusitado, mas uma delícia. Frango cru é meu predileto. Alguns outros clientes estavam achando o atendimento confuso, achei condizente com o restante. O que surpreendeu mesmo é a bartender que faz um Dog Alemão (Whisky Sour) muito bom. No final da noite, você e outro barfly eventual ainda podem assistir um evento de MMA ao vivo. Um garçom trocou empurrões com o namorafo de uma cliente. Impressionante. Enfim, para quem adora música pesada como Bon Jovi e Poison e não liga muito pra todo o resto.

  2. Cara, minha opinião, vocês não deveriam nem gastar seu tempo fazendo matéria sobre estabelecimento que está fechando, patrão que tá demitindo… O país está em quarentena, uma hora ou outra isso vai acontecer. É melhor se livrar dessa dívida e explicar aos funcionários que serão recontratados do que assumir mais uma dívida com um banco pegando empréstimo sem saber quando isso tudo acabar

  3. Parabéns ao chefe Fogaça !!! As administradoras de shoppings passaram do limite faz tempo. Chega a ser indecente a conduta de alguns gestores. Contratam um bando de trainess esnobes e recém formados que justificam tudo como interesse do empreendedor. Isso só vai acabar quando os lojistas acordarem e investirem nos próprios empreendimentos !!!

  4. ACREDITO que realmente ficou quase impossível, crer que uma praça de Alimentação de um Shopping, venha ter a partir de agora, a mesma vitalidade Primeiro e que o desemprego será um grande vilão destes emprendimentos a falta de dinheiro, fará muitos que ainda estejam empregados a levarem suas marmitinhas e os marmitex, superará as vendas pelo custo e a possibilidade de estar tranquilo sem correr riscos maiores de aglomeração, Aí quem tem senso e observa, o andamento da carroagem já está pulando fora destes encargos sociais,Até para estes empresários o fornecimento de MARMITEX DE EXELENTE QUALIDADE FICA MAIS BARATO, e com uma boa mídia poderá ser um grande vilão EMPRESAS poderá até deixar contrato doando ao funcionário ou fazendo abaixar os custos, até programas que abatem em impostos municipais podem ser estudados Há verdade que o mundo precisa realmente voltar a repensar no consumismo frenético que se vivia antes e mudar um leque de novas estratégias

  5. Os shoppings cobram absurdos em aluguéis, fora que toda data comemorativa como: Páscoa, Natal, Dia das mães, Namorados, Pais etc,.. é repassado os custos de enfeites de decoração!.

  6. O Fogaça assinou um contrato. Este contrato certamente descrevia as condições da locação. Todo mundo sabe que shoppings cobram caro pela locação. Além do aluguel, eles cobram um percentual em cima do faturamento. Ele pode ser um bom cozinheiro mas, assim como vários, é bastante improvável que ele seja um bom empresário. Aliás, posso citar vários chefs que ficaram famosos mas que os seus respectivos restaurantes fracassaram: Gordon Ramsey, Jamie Oliver, Erick Jacquin dentre outros! Ter um negócio não é para qualquer um!

  7. Não vejo fracasso da parte do chefe Fogaça, mas sim do shopping em não saber manter o cliente diante da atual situação, ademais, sabemos da exploração dos shoppings, por outro lado, aceita quem quer e assume os riscos.

  8. Eu acredito no Fogaça! Como consultor de franchising há 12 anos, negociei muito com shoppings do Rio e, de fato, administradores dos shoppings do Rio são muito difíceis e querem levar vantagens absurdas sobre os logistas. Aliás, sou paulistano e, aqui, em São Paulo, TODOS os restautantes e pubs do Fogaça são muito bem geridos e com ZERO PORCENTO de fracasso!!

  9. Mas ele tem razão, o shopping cobra além do aluguel, um condomínio que 7m absurdo, quer uma parte do seu lucro, é muito difícil sobreviver numa área de shopping

  10. […] Em resposta, o grupo Multiplan, responsável pela administração do ponto comercial, emitiu um comu…. A empresa negou ter sido inflexível nas negociações e afirma ter auxiliado o restaurante a abrir uma unidade no shopping, na Barra da Tijuca, em 2018, além de declarar ter concedido “enormes vantagens para seus lojistas” no início da crise gerada pela pandemia do Coronavírus. […]

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui