A campanha #vaidecorretor é a resposta do Zap+ à revolta de seus clientes corretores e imobiliárias. A empresa pretende se redimir da "comunicação desalinhada" que mobilizou profissionais de todo o Brasil. / Foto: Divulgação

No dia 16 de setembro último, o mercado imobiliário caiu em choque ao descobrir – aqui pelo DIÁRIO DO RIO – que o maior portal de classificados on-line do país, o Zap+, do Grupo OLX Brasil, estava abordando proprietários de imóveis diretamente, e propondo a eles que “economizassem” com a intermediação imobiliária e anunciassem diretamente suas casas e apartamentos. Para tanto, chegaram a disponibilizar uma “calculadora” que demonstrava a vantagem financeira em se despachar o corretor ou imobiliária. Nao teria nenhum problema, não fossem justamente os corretores os maiores anunciantes do portal.

A confusão começou quando o ZAP enviou esta propaganda a diversos proprietários de imóveis, propondo que dispensassem seus corretores e economizassem o valor da comissão.

A matéria correu o país inteiro como um raio, na velocidade da luz. Reproduzida em diversos sites imobiliários e “encaminhada com freqüência” pelo WhatsApp, gerou protestos em praticamente todos os órgãos da classe dos corretores de imóveis, que repudiaram, junto com os sindicatos, a ação do portal paulista. Pouco depois, a maior imobiliária do país, a Lopes, retirou o patrocínio de um importante evento da categoria, exigindo até mesmo seu dinheiro de volta. Nasceu a campanha #respeitazap, com os corretores exigindo que a empresa – recentemente vendida – se retratasse.

A pressão foi tanta que a plataforma chegou a apagar todo o seu instagram, por conta dos milhões de comentários reclamando e mesmo ofensivos ao portal. Depois, o seu Diretor Geral, Marcos Leite, escreveu no Linkedin uma retratação na qual qualificou o incidente como uma “comunicação desalinhada“, recebendo uma enxurrada de reclamações dos “parceiros corretores” no próprio post. A classe exigia uma retratação no site, demonstrando que o portal valorizava seus maiores clientes, e esta retratação veio logo após.

Como nem isso pareceu conter a fúria da classe dos corretores e imobiliárias, agora a empresa resolveu apostar alto e tentar convencer a todos que o que ocorreu não passou de um grave mal entendido. O Portal iniciou hoje, com a publicação de uma página inteira no jornal paulista Folha de São Paulo, uma campanha pela valorização do profissional imobiliário. “Na dúvida, não tem dúvida: #vaidecorretor“, diz o anúncio, em letras garrafais. E a empresa completa: “a gente vai sempre estar ao lado do corretor“. Montou também um site enaltecendo a classe dos corretores, e falando de todas as iniciativas da empresa em prol deles.

O Zap+ iniciou uma campanha pela valorização do corretor de imóveis e seu Diretor Geral, Marcos Leite, gravou este depoimento pedindo desculpas à classe e às imobiliárias, como parte da campanha #vaidecorretor

Para quem comparava o ocorrido com a (já) velha disputa entre as imobiliárias tradicionais e os aplicativos que tuberizam a atividade imobiliária, é importante explicar que não tem nada a ver uma coisa com a outra. “Empresas como Loft e Quinto Andar não vivem do dinheiro do corretor. Não vivem dos pagamentos pelos anúncios, e dos planos mensais. São concorrentes. Normal. Livre mercado. O que não é normal é uma empresa achar bacana cooptar o cliente do seu próprio cliente.”, disse na ocasião Cláudio André de Castro, da Sergio Castro Imóveis. Revoltados com a tática conhecida no mercado corporativo como “backstabbing” (facada nas costas), os profissionais se mobilizaram para buscar alternativas ao portal.

Voltamos a falar com Castro, e falamos sobre a nova campanha do Zap+. “É importante que se valorize o corretor de imóveis, que faz muito mais do que colocar um anúncio num portal de classificados. Ficamos felizes que o Zap tenha entendido finalmente que o corretor é indispensável a uma transação segura e sem sobressaltos. O corretor é um profissional autônomo que se dedica, diariamente, sem certeza do que vai ganhar no fim do mês, a auxiliar seus clientes a realizarem seus sonhos”, disse, aparentemente mais calmo do que no dia do escândalo. “Se de fato entregarem os leads, se forem parceiros éticos, e se vão valorizar a nossa profissão, entendo que é hora de rolar essa bola pra frente. A questão é que percebam de verdade a mancada que deram.“, afirmou André Toledo, da Block Imóveis.

Segundo especialistas do setor, inúmeros corretores e imobiliárias começaram a cancelar seus planos de anúncios com a plataforma. Em diversos estados, grupos de trabalho têm sido formados com diversas imobiliárias, tentando buscar alternativas para o portal, que detém parte importante do share de mercado. “Criamos um monstroe agora temos que domá-lo”, confidenciou em off um importante executivo de uma das maiores franquias imobiliárias do Brasil. Espera-se que a nova campanha acalme os ânimos.

3 COMENTÁRIOS

  1. Acho que o Zap já foi. Pelo menos pra mim! Eu só voltaria a acreditar nessa plataforma, se os anúncios fossem exclusivos para corretores e imobiliárias. De outra forma, que vire de vez uma plataforma de proprietários, já que alguns não acreditam no trabalho do corretor! Proprietários que não querem ajuda de profissionais, ou são experts na área (aí não precisam mesmo), ou tem algo a esconder do cliente! E os compradores que compram direto do proprietário, ou são experts no assunto (aí não precisam mesmo), ou são só vítimas de uma promessa de “economia”, que no futuro, só causará aborrecimentos e prejuízos !

    • Sim… absolutamente todas as vezes que eu lidei com corretores eu me deparei com serviços de péssima qualidade… anunciavam coisas que não existiam… criavam burocracias inúteis… etc… mas querem posar de coitados como se as pessoas não estivessem absolutamente insatisfeitas, pra não usar palavra pior, com a prestação de serviço deles…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui