Governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, foi preso em desdobramento da Operação Lava Jato no Rio (Foto: Agência Brasil/ Marcelo Sayão)

Fim de uma era! Depois de quatro anos e meio de atuação, colecionando prisões de políticos, agentes públicos e empresários envolvidos em corrupção, a força-tarefa da Lava-Jato no Rio encerrara sua atuação no Rio em abril deste ano. A informação é do jornal O Globo.

Formada hoje por oito procuradores da República, a Lava-Jato terá o mandato estendido até abril, ocasião em que o Ministério Público Federal do Rio de Janeiro (MPF-RJ) pretende criar o seu primeiro Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), semelhante ao que já existe no Ministério Público Estadual.

A ação resultou na prisão de do ex-presidente da República Michel Temer, do governador afastado, Wilson Witzel, dos dois ex-governadores Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão, entre outros.

A força-tarefa concluiu que as investigações em andamento, sobretudo as derivadas da Operação Tris In Iden, que levou o Superior Tribunal de Justiça (STJ) a afastar Wilson Witzel, não podem ser interrompidas, e planeja se transformar no futuro Gaeco, em vez de trabalhar em conjunto com a unidade. O número e os nomes dos integrantes serão definidos pelo colegiado do MPF-RJ, com abertura de inscrição para os interessados, o atual coordenador da Lava-Jato no Rio, procurador da República Eduardo El Hage, já anunciou entre os colegas que vai se candidatar ao mesmo cargo no Gaeco.

Após serem escolhidos pelos colegas do Rio, os procuradores do Gaeco terão os nomes avaliados do procurador-geral da República, Augusto Aras. O modelo marca a transição das forças-tarefas para um novo formato. Em nota, a Procuradoria Geral da República afirmou que Aras “se comprometeu a apoiar as investigações em curso, com pessoal e estrutura, até o final de seu mandato, em setembro”. A Procuradoria também disse que, com o Gaeco do Rio, os trabalhos desenvolvidos pela força-tarefa terão continuidade e institucionalidade”.

Já existem Gaecos federais em Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pará e Amazonas. No Rio, será aberto nos próximos dias.

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui