Após vídeo de briga no Leblon viralizar, arquiteta deve ser processada

Wilton Vacari se mostrou revoltado e afirmou que vai processar a arquiteta. Mulheres que estavam no carro também se pronunciaram

A briga que estourou no WhatsApp dos cariocas neste sábado (26/09) não acabou por ali. Wilton Vacari, que dirigia seu carro com as amigas, ficou revoltado com a situação. Ele afirmou à coluna de Leo Dias no jornal Metrópoles que irá processar a arquiteta Aline Araújo e o homem que agrediu Sheila ainda dentro do carro.

Só pra constar, sou engenheiro da Petrobras concursado, não pago mulher, minhas amigas são mulheres que trabalham, e se sustentam, não banco ninguém porque não preciso disso. Os vídeos estão circulando nos meus grupos de trabalho e isso mancha minha imagem perante a minha empresa. Vou processar a arquiteta e o homem covarde que agrediu Sheila dentro do meu carro. Fui lesado. Até minha avó recebeu esses vídeos”.

Ele contou ainda que não aconteceram cenas obcenas no carro e que eles apenas se beijaram.

Sempre ando de carro com a capota aberta com as minhas amigas, pra mim é uma coisa natural, quem é meu amigo ou me acompanha no Insta sabe que eu faço isso toda semana. Vim beijando uma, depois outra, depois elas se beijavam. Coisa mais que normal para sociedade de hoje em dia. Faço isso toda semana grande, jamais iria passar no Leblon, onde sou cria, fazendo cenas obscenas ou preliminares. Foi o que a menina achou de desculpa pra tentar aliviar um pouco o erro dela”.

Em seu perfil no Instagram, Priscilla Dornelles, que estava no banco da frente do carro, afirmou que está sendo ofendida pela arquiteta.

Ela está querendo nos difamar. Saímos de uma festa na lancha, na praia, e resolvemos dar uma volta de biquíni mesmo para curtir. Mas uma recalcada simplesmente não gostou do que viu, não sei o que incomodou tanto ela, porque estávamos somente nos divertindo. Eu acho que difamação é um crime muito sério. Só pra avisar que vai ter processo sim”, disse.

A amiga de Priscilla, identificada apenas como Sheila, postou que apenas se defendeu das agressões verbais proferidas por Aline.

A amiga de Priscilla, identificada apenas como Sheila, publicou um vídeo no Instagram contando sua versão do ocorrido. Ela conta que chegaram a oferecer cachê, mas que ela não aceitou e que não quer usar isso para se promover. Ela contou que foi agredida verbalmente antes de ser atingida pela garrafa d’água. Ela disse ainda que pulou do carro sem saber o que ia fazer, apenas porque estava com muita raiva.

Levei a garrafada nas costas, olhei diretamente para ela, porque eu já sabia que era ela. Quando eu olho para trás, ela no maior deboche me manda um outro beijo. Como eu não tenho sangue de barata, na hora minha reação foi pular do carro […] quando eu pulei do carro eu não sabia o que ia fazer, eu pulei porque estava com muita raiva. Quando eu pueli, ela fez assim ‘vem’ e eu fui. Apanhei e revidei”.

Na filmagem que viralizou, duas mulheres e um homem se beijavam em um carro conversível, enquanto as pessoas gritavam e batiam palmas. até que alguém em um bar joga copos em uma das mulheres. A agredida se levanta, vai ao bar e estapeia a agressora Aline Araújo, que usou o Instagram @amearquitetura para se defender, alegando que a cena era atentado ao pudor e que realmente jogou água, pois estava com crianças e família no restaurante.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

4 COMENTÁRIOS

  1. São vítimas no carro e e agressores no bar, simples assim, qualquer menção ao comportamento das mulheres que estavam no carro é como dizer “ela foi estuprada porque estava de saia curta”, tem que empurrar uma notícia crime nesse animal que arrancou a parte cima do biquíni da mulher e claro na mulher que atirou as garrafas.

  2. Agressão sexual foi arrancar o biquíni
    Ato obsceno alegado não tem nada. Pois este crime precisa ser capaz de atingir a coletividade, e não meia dúzia por questão de serem conservadores nos costumes – e liberais na economia. Hehehe

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui