Outubro Rosa com coquetel e iluminação do Cristo Redentor

O câncer de mama é a principal causa de morte entre mulheres no Brasil, de acordo com dados disponibilizados pelo Inca. Segundo a Sociedade Brasileira de Mastologia – SBM, o número de mulheres à procura de atendimento e exames preventivos caiu 70% durante a pandemia, o que preocupa a comunidade médica, uma vez que a doença é a que mais acomete mulheres no mundo todo, tendo relatado, somente em 2020, aproximadamente 2,3 milhões de novos casos. Para promover o conhecimento sobre a importância dos exames de rotina para prevenção do câncer de mama, a Aspen Pharma vai celebrar o Outubro Rosa em parceria com a Associação Brasileira de Apoio aos Pacientes de Câncer – ABRAPAC. No dia 16 deste mês haverá uma sessão de valorização da autoestima para mulheres na sede da Associação, onde elas receberão sutiãs pós mastectomia doados pelos colaboradores, além de uma sessão de fotos. No dia 19, será realizada uma live onde mulheres assistidas pela ABRAPAC poderão conversar com os colaboradores da Aspen e contarem um pouco das suas histórias e experiências no tratamento.

 A gerente médica da Aspen Pharma, Drª Rosana de Deus Decotelli, alerta que todas as mulheres devem fazer o rastreamento com a mamografia a partir dos 40 anos – ou de acordo com indicação médica. Porém, aquelas com múltiplos fatores de risco e parentes de primeiro grau com câncer de mama, ovário, pâncreas, próstata ou melanoma, devem ficar mais atentas. “O sinal mais frequente é o aparecimento de um nódulo ou massa. Um nódulo sólido, indolor e com bordas irregulares tem maior probabilidade de ser maligno, mas os cânceres de mama também podem ser sensíveis ao toque, macios e com bordas regulares. A mamografia é o exame principal para o rastreio do câncer. Quando necessário, pode ser complementado pela ultrassonografia das mamas”, alerta. Dentre os outros sinais ou sintomas, a Drª Rosana ressaltou: 

  • Inchaço de toda ou parte de uma mama (mesmo sem um nódulo palpável)
  • Nódulo único endurecido
  • Irritação ou abaulamento de uma parte da mama
  • Dor na mama ou mamilo
  • Inversão do mamilo
  • Eritema (vermelhidão) na pele
  • Edema (inchaço) da pele
  • Espessamento ou retração da pele ou do mamilo
  • Secreção sanguinolenta ou serosa pelos mamilos
  • Linfonodos aumentados

Existem vários tipos de câncer de mama e eles são determinados pelas células específicas afetadas no local. A maior parte é de carcinomas, que são tumores que começam nas células epiteliais que revestem órgãos e tecidos do corpo. Quando os carcinomas se formam na mama, geralmente são um tipo específico denominado adenocarcinoma, que começa nas células de um ducto mamário ou nas glândulas produtoras de leite (lóbulos). Drª Rosana esclarece que alguns tipos de câncer podem ser hereditários: “a presença de uma mutação genética hereditária pode ser descoberta por meio de testes genéticos, indicando uma predisposição à doença”. Apesar de ser raro (somente 1% de todos os casos), homens também podem ter a doença e devem ficar atentos. A médica ressalta que a incidência é mais frequente em homens acima dos 60 anos e em cujas famílias apresentam muitos casos de câncer de mama (mesmo que em mulheres) e de ovário. Por isso, eles devem procurar atendimento médico caso identifiquem qualquer alteração em suas mamas também. 

A postura atenta das mulheres no conhecimento do seu corpo e no reconhecimento de alterações suspeitas é importante para o diagnóstico precoce do câncer de mama, mas, de acordo com a médica, o exame físico realizado pelo profissional de saúde ou pelo paciente não substitui a mamografia no rastreio do câncer de mama. Ela complementa destacando que um estilo de vida saudável, evitando tabagismo, sedentarismo, bebida alcoólica e obesidade, pode diminuir os fatores de risco modificáveis da doença.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui