Associações decidem esperar opinião científica para confirmar ou não Carnaval de rua em 2022

''Em janeiro, tomaremos decisão definitiva se pode ou não ter Carnaval'', diz Rita Fernandes, presidente da liga Sebastiana

Imagem meramente ilustrativa de movimentação carnavalesca no Centro do Rio - Foto: Reprodução

Após o prefeito Eduardo Paes (PSD) afirmar que não cancelará nenhum evento de grande proporção, como o Réveillon ou o Carnaval, sem antes haver um embasamento técnico para tal, associações ligadas à folia carioca se manifestaram e corroboraram com a decisão do chefe do Poder Executivo municipal do Rio de Janeiro.

Em entrevista ao portal ”G1” nesta quarta-feira (01/12), Rita Fernandes, presidente da Associação Independente dos Blocos de Carnaval de Rua da Zona Sul, Santa Teresa e Centro do Rio (Sebastiana), disse ser prematuro cravar tanto a realização da festa quanto a não realização.

”O Comitê Científico diz que, se os índices continuarem caindo e atingirem a meta que está sendo atingida, a gente consegue fazer o Carnaval. Então, nós decidimos aguardar e acompanhar o trabalho do comitê depois do Réveillon. Aí, em janeiro, tomaremos decisão definitiva se pode ou não ter Carnaval”, explicou, antes de complementar.

”Se não houver condição de segurança para fazer a festa, seremos os primeiros a cancelar o Carnaval. Mas não vamos tomar nenhuma atitude precipitada. A gente quer a ciência e o que a ciência tem para nos dizer, e é sobre isso que a gente vai decidir”, concluiu.

Já Luis Otavio, membro do Desliga dos Blocos, movimento que age em defesa do Carnaval livre, o panorama atual indica motivos para um otimismo quanto à realização do festa. Ele, porém, ressalta que é necessário esperar até janeiro para um decisão definitiva.

”Vamos aguardar como o cenário irá evoluir até o início do ano para, à luz dos indicadores dados pela ciência e com foco total na segurança da população, tomarmos a decisão”, disse.

Vale lembrar que a folia em 2022 está prevista para acontecer entre os dias 25/02 (Sexta-feira de Carnaval) e 05/03 (Quarta-feira de Cinzas).

1 COMENTÁRIO

  1. A opinião científica virá dos contadores.

    Uma coisa é reabrir a economia naturalmente. Outra coisa é fomentar aglomerações massivas que poderiam ser evitadas. E que depois serviriam de gatilho pra fechamentos futuros. E em ano eleitoral, ainda por cima.

    Ou então tenham coragem e decretem o fim da pandemia: e daí que rufem os tambores e as cuícas. E assim assumam a responsabilidade política da decisão.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui