A atriz, diretora e professora de teatro Erika Ferreira faleceu, possivelmente vítima da COVID-19.

A atriz, diretora e professora de teatro Erika Ferreira, da Companhia Teatral Agromelados, morreu hoje, com suspeita de COVID-19. Natural de São Gonçalo, Érika começou sua carreira de atriz em 1991. A atriz e diretora era conhecida por sua forte atuação social e junto ao movimento negro, assim como sendo muito ativa no ensino do Teatro. Segundo a Oficina Social de Teatro, Erika havia sido internada na última terça-feira, com gripe forte e falta de ar. Ela era diabética e estava internada no Hospital de Clínicas Alameda, em Niterói.

Erika, que tinha 39 anos de idade, se formou pela Escola Técnica Estadual de Teatro Martins Penna. Participou como atriz de vários espetáculos, como o elogiado “Omi – do leito ao mar” da Companhia Ávida, e por esse trabalho ganhou o prêmio de melhor atriz coadjuvante no 13° Festival Nacional de Teatro, e teve também outras indicações.

Na área de produção, trabalhou durante 5 anos na escola de Teatro Martins Penna  na função de diretora de produção e realizou uma gama de eventos, tendo tido acesso a muitos nomes importantes do meio artístico, como a grande Bibi Ferreira, Milton Gonçalves e outros.

Participou de várias oficinas de teatro, sendo conhecida pela atuação na Companhia Amok. Ganhou prêmios e indicações como diretora, em Niterói. Participou do espetáculo “É samba na veia, é candeia”, que ganhou o prêmio Shell de melhor direção musical em 2009.

Integrou e dirigiu a Agromelados Cia de Teatro, que já participou de vários festivais de esquetes. Chegou a fazer peças infantis. Dirigiu as leituras dramatizadas “Transegun de Cuti” em Maio de 2016, “Liberdade, Liberdade”, de Flávio Rangel e Millôr Fernandes em Setembro de 2017, ambos no Teatro Municipal de Niterói e em Julho de 2018 dirigiu, do texto de Abdias do Nascimento, a peça “Sortilégio no Solar do Jambeiro”. Trabalhava na na Oficina Social de Teatro desde 2012 como professora, na parte de produção e coordenação pedagógica.

Erika era casada com o ator Sylvio Moura. Seu corpo será cremado numa cerimônia fechada às 14:00 de domingo.

16 COMENTÁRIOS

  1. Infelizmente, as pessoas que tem fator de risco que comprometa a imunidade , estão mais vulneráveis a essa Síndrome Respiratória causada por esse Covid 19 . Lamento profundamente, a perda de mais uma militante da causa Negra em nosso País ! Que descanse em Paz! Meus sentimentos na família, amigos , alunos e admiradores .

  2. Comentário muito infeliz!
    Parece que o apedeuta nem.leu a matéria.
    A paciente foi acometida de uma gripe, desenvolveu insuficiência respiratória e evoluiu para óbito, sem noção!

  3. E ainda tem gente que acha que é fake. Não querem acreditar. Por qual motivo não iriam dizer a real causa da morte da professora? Se cuida gente, do corpo e da mente.

  4. #A Pouco tempo vocês através da Mangueira ironizaram o “SANTO-FILHO-DE-DEUS”, e agora está vindo a cobrança dessa deslavada pouca-vergonha de quem é usado pelo mal.! O COVID19 é uma doença maligna como todas doenças, e o CRISTÃO pode ser acometido por qualquer doença, o diferencial é que dorme com esperança em ‘CRISTO JESUS que o irá “RESSUSCITAR no último dia.!

  5. Os pombos estão morte do no Centro da Cidade com fome pois os botecos estão fechados e não tem mais malucos para jogarem milho. Estão alegando que não é fome. E sim Covid19

  6. Acho que ninguém morre mais de outra coisa. Morreu de câncer, foi coronavírus. Morreu de tuberculose, foi coronavírus. Morreu de febre amarela, foi coronavírus. Daqui a pouco vão colocar baleados e atropelados na conta do coronavírus.

    • deixa de ser ignorante, existem pessoas com doenças perfeitamente curáveis ou crônicas, que deixam o organismo imunodepressivo, e o corona é letal nesse tipo de caso. vai se informar, vai estudar, seu jumento

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui