Avaliação de Governo Cláudio Castro cresce durante seu pior período

Mesmo com o escândalo da Ceperj, pesquisa Genial/Quaest mostra melhora da avaliação do governador Cláudio Castro

Cláudio Castro durante a inauguração' da Casa do Trabalhador, em Olaria / Foto: Rogério Santana

O governo de Cláudio Castro (PL) passou pelo seu pior período nos últimos dias com o escândalo da Ceperj, só que isso não interferiu em nada em sua popularidade. Muito pelo contrário, de acordo com a pesquisa Genial/Quaest, Castro viu crescer a avaliação positiva de seu governo oscilar positivamente de 24% para 26%, enquanto a negativa caiu de 27% para 25%, e quem acha regular ficou em 36%. Não sabe e não responderam está em 13%.

Se pegar o histórico desde março deste ano, se vê que o regular caiu 6 pp, de 42% para 36%, enquanto o positivo subiu de 22% para 26% e o negativo de 19% para 25%.

A melhor mais visível est[a entre as mulheres, subindo a avaliação positiva do governo de 19% para 23%, enquanto a negativa caiu de 30% par 26%. Já entre os homens a avaliação positiva caiu de 31% para 29% e a negativa de 24% para 23%. Acompanha assim, como nos outros cenários, a pesquisa para governador publicada no DIÁRIO DO RIO mais cedo.

Quando o recorte é em idade, Castro só vê a performance de seu governo piorar entre os jovens adultos, 25-34 anos, com uma desaprovação subindo de 26% para 30%, e oscilação do positivo de 22% para 21%. Enquanto os mais jovens, 16-24 anos, ele vê a avaliação negativa despencar de 32% para 26% e a positiva subir de 17% para 20%.

Talvez as denúncias do Ceperj tenham chegado com mais força em quem tem ensino superior, a avaliação negativa subiu de 28% para 35%, apesar da positiva ter oscilado para baixo apenas 2 pp, de 26% para 24%. Já em quem tem ensino fundamental houve um crescimento de 22% para 29% de positivo e uma queda de 23% para 16% em negativo.

O mesmo se vê quando o recorte é entre renda familiar:

Na cidade do Rio de Janeiro é onde o governo Cláudio Castro é mais mal avaliado, são 31% de negativo, mas uma queda incrível de 8 pp, em julho eram 39%, o positivo se manteve estável em 23% Já na Baixada, de onde vem seu candidato a vice Washington Reis (MDB), o positivo subiu de 23% para 28%, e o negativo de 22% para 23%. No interior houve uma oscilação para baixo da avaliação positiva de 29% para 28% e para cima da avaliação negativa de 16% para 17%.

Um dado que deve ter feito a alegria da equipe de campanha de Cláudio Castro é quando perguntado aos entrevistados se ele merece uma segunda chance como governador. O sim vem oscilando positivamente desde março, subindo de 48% para 51%, enquanto o não que estava subindo e chegou a 44% em julho, despencou para 39%, lembrando, isso na pior fase de seu governo.

O levantamento ouviu 1.500 pessoas no Rio de Janeiro. A margem de erro é de 2,5 pontos percentuais para mais ou para menos em um intervalo de confiança de 95%. A pesquisa foi contratada pelo Banco Genial por R$ 113.025,00. O registro da pesquisa no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é BR-08389/2022.

Advertisement

1 COMENTÁRIO

  1. O rio de janeiro merece toda a corrupção e morte que sofre, que morra mais pessoas, tem que aprender na base da porrada para ver de para de ser gado de bandido

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui