Mesmo com a queda nas arrecadações da Rio Contra a Fome no segundo mês de campanha, a população da Zona Sul e Tijuca foi responsável por 37% das 10 toneladas de alimentos doadas em maio. Botafogo está em primeiro entre os bairros que mais arrecadaram, com 810 kg, seguido por Gávea (651 kg) e Centro (648 kg) no pódio da solidariedade. A Zona Oeste surpreendeu também marcando presença na lista dos campeões de doações, com Campo Grande em 5º lugar e Realengo e Guaratiba, figurando na 9ª e 10ª colocações, respectivamente.

Tomás Coelho foi destaque na menor quantidade de doações: apenas 3kg em todo o bairro. Seguido de perto por Vila Aliança e Mangueira, que juntos não somam nem 10kg de alimentos. A menor arrecadação nesses bairros se explica pela baixa renda per capita, é mais difícil ter para doar em locais de maior vulnerabilidade . Aliás, um dos principais desafios logísticos  que a Rio Contra a Fome dá conta é fazer com que os alimentos cheguem a todos os lugares, já que as áreas de maior poder socioeconômico da cidade e as que recebem mais doações geralmente são distantes de onde habita a população que necessita. 

A Secretaria Especial da Juventude Carioca (JUVRio) está à frente da campanha, em parceria com as secretarias de Saúde (SMS), Ação Comunitária (SEAC), Esportes (SMEL) e Assistência Social (SMAS). Salvino Oliveira, secretário da JUVRio, convoca a população a continuar contribuindo para a Rio Contra a Fome.

“Todos os pontos municipais de vacinação continuam recebendo as doações para a campanha em junho. A população carioca mostrou que a corrente de solidariedade pode ajudar muita gente, contamos com as doações para continuar colocando comida na mesa de quem mais precisa no momento”.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui