Eu sou um grande fã de bancas de jornal, diria que é quase um vício. Se vejo uma entro, pode ser até mais de uma vez por dia. Hoje mesmo fui três vezes, sempre acho que a revista que quero ainda não chegou, que pode ter alguma novidade. Quadrinhos, revistas de história e curiosidades, sei sempre onde estão!

Acho que baseado nisso acabo conhecendo bem as bancas cariocas, pode não ser todas, bem longe disso. Basicamente a maioria destas maiores pouco se preocupam com seus clientes, tem umas que mais parecem uma padaria do que um lugar que vende jornais e revistas. Tem aquelas que só vendem revistas velhas, tem uma na Carioca que vende de tudo menos revista (vocês sabem qual é e sabem que estou exagerando um pouco).

Entretanto tem aquelas que é um lugar que se pode bater um papo bem curto com o jornaleiro, mas bem curto mesmo, ele tem de vender e você tem de correr para o trabalho. A boa banca de jornal tem um atendente que lembra quem você é e até dá um a dica do tipo, “chegou aquela revista que você tava esperando”, “você não gosta do Batman, olha essa aqui”. Acho que havia mais destas antigamente, hoje são raras.

Por incrível que pareça tem uma neste estilo no Centro, na verdade na esquina da Rua do Rosário com a 7 de Setembro, a Banca Bacana. Eu dou volta no meu caminho só para comprar lá! Normalmente quem gosta de quadrinhos é meio desrespeitado, deixam as revistas zoneadas, misturam velhas com antigas e te olham com aquela cara de “velho, velho lendo Super-Homem”. Ali não, só faltam saber qual é o meu predileto!

Mas acho que no Rio deve ter várias ainda, especialmente no subúrbio…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui