Benedita defende a “mulherada aguerrida”

São as mulheres, segundo Benedita, que mais sofrem os efeitos da crise econômica e a pandemia, que devastou famílias, aumentou o desemprego

Em visita ao Mercadão de Madureira neste sábado, a candidata à prefeita do Rio de Janeiro em 2020, Benedita da Silva (PT), fez uma defesa veemente da “mulherada aguerrida“. São as mulheres, segundo ela, que mais sofrem os efeitos da crise econômica e a pandemia, que devastou muitas famílias, aumentou o desemprego e prejudicou as crianças mais pobres no aprendizado escolar.

A maioria da população aqui é de mulheres. É uma mulherada aguerrida que nós vemos trabalhando aqui no Mercadão ou lá fora com seus tabuleiros. São essas mulheres que têm sustentado muito das suas famílias com seu trabalho“, disse a candidata, defendendo que os projetos de desenvolvimento da cidade levem em conta a importância do trabalho da mulher.

É muito importante, afirma a candidata, garantir a volta às aulas com segurança, lutar pela vacina, fazer testagem em massa e garantir que as crianças pobres não sejam tão prejudicadas por falta de internet e equipamentos eletrônicos para as aulas online. “Os hospitais, as UPAs e as clínicas precisam voltar a funcionar“, defendeu.

Ficar em casa é importantíssimo para preservar a vida e a saúde das crianças, dos seus familiares e dos professores, mas as crianças pobres não puderam ter até agora o mesmo aproveitamento no ensino à distância. Às vezes a família tem apenas um celular, que todo mundo usa para trabalhar, e a criança fica prejudicada, a desigualdade em relação à criança rica vai aumentando“, lamentou Benedita.

Em defesa da liberdade

A ex-ministra e ex-governadora, que sofreu preconceito por ser evangélica, negra e pobre, disse que Madureira é uma síntese da diversidade no Rio de Janeiro, com diferentes igrejas, crenças e manifestações culturais, como as escolas de samba e o Jongo da Serrinha. “Queremos tranquilizar o bairro de Madureira e toda a cidade do Rio de Janeiro de que nossa prefeitura vai governar para todos. Não vai ser para A ou B, mas para todos os cariocas”, declarou a candidata.

Essa tradição de liberdade e convivência entre as culturas é muito importante. As escolas de samba daqui têm a ver com a história do Brasil. Quem quer ser prefeito tem que conhecer e respeitar a cidade, a cultura do povo. A gente não deve discriminar ninguém, mas trabalhar com todo mundo“, disse Benedita, ao lado do locutor do Mercadão, Charles Francis.

Geração de empregos

A candidata distribuiu santinhos para eleitores em Madureira e retirou seu compromisso de priorizar o desenvolvimento econômico e a geração de empregos na Zona Norte e na Zona Oeste, regiões que são cortadas pela Avenida Brasil e onde mora a maioria da população do Rio de Janeiro. “O Mercadão de Madureira tem que ser visitado por todos que pretendem ser prefeitos. Ele tem história, é uma marca, um encontro das famílias, de todas as pessoas. É para todas as pessoas que eu quero governar a cidade do Rio de Janeiro“, declarou a candidata.

Benedita disse que o desemprego hoje atinge todas as camadas sociais no Rio de Janeiro, embora, naturalmente, o maior sofrimento recai sobre o mais pobres, que não encontram amparo em um serviço público de qualidade. “O desemprego é geral. Vai desde o ambulante até os grandes comerciantes e empresários da cidade. Cuidar dos trabalhadores e trabalhadoras, que perderam seus empregos e se tornaram ambulantes, é fundamental para a organização da cidade.

Transporte de qualidade

Ela falou também da importância de um transporte público de qualidade para quem trabalha ou busca um emprego. “As linhas de ônibus estão sumindo, o prefeito não faz nada, e as pessoas passam cada vez mais tempo dentro dos ônibus em vez de se dedicar à família ou até a vir ao Mercadão de Madureira comprar e ver os amigos”, disse Benedita. “Várias linhas foram retiradas de circulação. Eu assumo o compromisso de que elas vão voltar a funcionar.’

A inteligência da juventude

Benedita também comprometeu-se a investir na cultura e na inteligência da juventude das comunidades de bairros populosos como Madureira. “A nossa juventude precisa praticar sua inteligência. Estamos na era digital, e Madureira precisa oferecer mais oportunidades, com uma sala digital para as comunidades. As escolas de samba terão meu total apoio em suas ações sociais, que acontecem o ano inteiro, na qualificação da juventude e no apoio a muitos trabalhadores, como nossas quituteiras”.

Ela também demonstrou otimismo com a última pesquisa do Ibope, na qual aparece em situação de empate técnico no segundo lugar com Crivella e Martha Rocha. “Eu vim aqui em Madureira algumas vezes e espero voltar com uma boa notícia, a de que estamos no segundo turno. Estamos chegando lá. Por isso, bota fé que dá. No dia 15, vote 13.

Advertisement

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui