Benedita e o prefeito de Maricá, Fabiano Horta. Foto Wagner da Silva.

Nesta segunda-feira, 26/10, a candidata à prefeita do Rio de Janeiro em 2020 Benedita da Silva (PT) esteve com seu colega de partido, Fabiano Horta, prefeito de Maricá, no Morro do Borel, na Tijuca, para lançar um dos principais planos do seu programa de governo: a Moeda Carioca.



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

Inspirado na Mumbuca, moeda social de Maricá, a Moeda Carioca fortaleceria o comércio e geraria empregos nas comunidades nas quais vai circular.

Como funcionará a Moeda Carioca

A Prefeitura depositará R$ 100 na conta do beneficiário em um banco popular. A pessoa recebe o Cartão Carioca, que será aceito pelas lojas, mercados, quiosques e outros estabelecimentos locais.

Com a Moeda Carioca, nós iremos aquecer a economia e gerar emprego e renda nas favelas da cidade do Rio de Janeiro. Eles serão as primeiras a serem atendidas. Vamos beneficiar 350 mil famílias com R$ 100 no Bolsa Família”, disse Benedita ao lado de sua candidata a vice, a Enfermeira Rejane.

Para o prefeito Fabiano Horta, candidato à reeleição pelo PT em Maricá, a Moeda Carioca será “uma política pública ousada, pois fortalecerá a economia popular, dialogando com a transferência de renda e incrementando a renda básica dos cariocas, especialmente aqueles que vivem em comunidades e territórios mais pobres”.

A Moeda Carioca será gerida pelo Banco Popular, instituição que terá como missão fornecer empréstimos e financiamento a juros baixos para pequenos comerciantes e moradores, para investir na loja ou fazer pequenas obras de melhoria da habitação – abrir uma janela para ventilar a casa, construir um banheiro etc.

Caminhada na Tijuca  

Bendita
Foto: Wagner da Silva

Mais cedo, a caravana de Benedita esteve a praça Saens Peña e no Mercado Popular da Tijuca. Ela conversou com pedestres, eleitores e comerciantes.

Na Praça Saens Pena, a candidata falou sobre seus planos para a melhoria da mobilidade urbana. Prometeu reativar linhas de ônibus que sumiram na gestão Crivella e regularizar as vans para trajetos dentro dos bairros e comunidades.

Não é possível que as pessoas passem três, quatro horas dentro de um ônibus para ir e voltar do trabalho. Meu compromisso é com o povo. Não com os donos das empresas de transporte”, completou a candidata.

União das forças populares

Em debate na Super Rádio Tupi com as jornalistas Cidinha Campos e Isabele Benito, Benedita da Silva defendeu a união dos progressistas no segundo turno.

A candidata recordou passagens com o líder trabalhista Leonel Brizola, como as feijoadas que ela fazia em sua casa, no Morro do Chapéu Mangueira, no Leme, assim como as comidas gaúchas no apartamento do ex-governador, na Avenida Atlântica, Copacabana. Brizola morreu em 2004.

Benedita tem recebido manifestações de apoio de brizolistas à sua candidatura. Um deles, o ex-secretário de Justiça Vivaldo Barbosa, que relatou, ontem, no twitter, uma declaração de Darcy Ribeiro, outro herói dos trabalhistas. Dizia Darcy:

Tenho o maior orgulho do Brasil toda vez que entro no Senado e vejo aquela negona sentada lá.

Benedita se disse honrada e emocionada com o apoio de brizolistas.

Brizola foi um grande homem que amava o povo do Rio.”

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui