Neste sábado, 19/06, a Polícia Civil afirmou que a bicicleta elétrica utilizada por Matheus Ribeiro foi apreendida por ser produto de um furto. O instrutor de surf teria sido acusado por um casal no Leblon, no dia 12 de junho, de ter roubado o veículo, mas o casal estava enganado.

A bicicleta que estava com Matheus já foi devolvida ao seu proprietário e ele, assim como o homem que vendeu a ele o equipamento, estão sendo investigados por receptação.

O inquérito segue em andamento e apura também quem foi o ladrão da bicicleta. Ela foi vendida ao rapaz por um valor muito inferior ao de mercado, seminova e sem a chave original.

Também neste sábado, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) manifestou-se pela manutenção da prisão preventiva de Igor Martins Pinheiro, de 22 anos, apontado como autor do furto de uma bicicleta elétrica, no dia 12/06, no Leblon. Igor tem diversas passagens pela polícia.

18 COMENTÁRIOS

  1. Basta ser negro hoje para ser um coitado, oprimido, massacrado pela sociedade branca. Sou branco igual a leite. Já me chamaram de tudo. Sem sal, sem cor, branco azedo, qualquer metda que venha na cabeça. Chama um negro de negro. É processo certo. São o que então. Lourenço excessivamente bronzeados.

  2. Eu quero ver agora a cara das empesas que demitiram os dois, a indústria do racismo está a todo vapor no Brasil. Para a mídia ideologizada o casal teve má fé, mas o s erros do levantador de bandeiras Matheus foi só inocência da parte dele , parem de jogar homens contra mulheres, negros contra brancos, héteros contra homo.

    • Exatamente ! Então o casal na verdade não estava errado, a bicicleta não era a sua que foi furtada, mais era de outra vitima. Foi puro faro investigativo. Atirou no que viu, mais acertou em cheio no que não viu. Que o casal, receba as desculpas que lhe são devidas.

  3. Realmente não vi racismo por parte do casal.
    No calor da emoção,imaginarao que poderia ser e o acusou,mas se arrependeu,o rapaz se aproveita por ser negro e acha que houve racismo.Agora quem compra uma bicicleta com um valor tão inferior ao valor original,e não desconfia que é roubado,ah me poupe,conte outra sinceramente.

  4. com certeza!!E o casal nada tinha de racista!!Quem não interpelaria qq um q fosse ,se no mesmo lugar q um bem seu sumisse,e outra pessoa estivesse com um bem igualzinho???O casal falou numa boa,e se desculpou!!!A desconfiança seria qq q fosse a cor da pessoa!!!O mau caráter receptador,foi quem gravou,xingou o casal,e mostrou pra o mundo todo ver!!!Não foi o casal q fez a CALÚNIA!!!FOI ESSE VAGABUNDO HIPÓCRITA!!!CABE UM PROCESSO NESSE IDIOTA,POR DANOS MORAIS!!!Os dois perderam o emprego!!

    • Pode existir os dois crimes.
      O rapaz como vítima de calúnia (e/ou ainda injúria racial) e o casal como autores – dependendo, um ou outro pode não responder pelos mesmos crimes, pois depende do ato e a responsabilidade é de quem praticou
      E pode a vítima da calúnia (e/ ou ainda injúria racial) ser autor de receptação de outro ato da sua responsabilidade.

      A responsabilidade no tempo e segundo cada um ato praticado são independentes.

      • Sim,com certeza,são independentes, mas sinceramente não acho q o casal tenha nada de racista!!Foi muita coincidência, não era um objeto comum,q se encontra em qq esquina…Acho q qq um q estivesse ali,com um objeto igual ao recém roubado, seria interpelado…..e não foram estúpidos com o cara,foram educados,apesar da situação(e por causa dela)…..Se tivessem chamado a polícia, ou feito um escândalo, até
        concordo,mas agiram com muita calma e educação……. quem gravou e expôs a cara dele e a do casal, foi o próprio receptador,e ele foi grosso com o casal(seria normal,até não fosse um receptador de objeto roubado)……não vejo crime algum nesse casal….
        Já aconteceram vários casos de engano desse tipo…é muito comum,e nem por isso significa racismo,ou algo do tipo…
        Do jeito q está esse vitimismo cego,agora mesmo q vc tenha essa dúvida e queira educadamente tirar a dúvida,não poderá faze-lo,só pelo fato da pessoa ser negra?
        Já tiraram essa duvida comigo,e nem por isso fiquei revoltada!!!Enganos acontecem!Acho q muita gente precisa se tratar de recalques q muitas vezes vem de baixa autoestima, nada a ver com o q o outro fez ou deixou de fazer…É algo interno….Gente bem resolvida não leva isso à sério…..

        • Como disse, poderia ser injúria racial… não afirmo que foi. Mais para calúnia estaria forte a presença. Tem um vídeo que a própria vítima gravou já na parte final quando, você vê que momento após que o rapaz teria usado da própria chave tentando abrir o cadeado. Tem a câmera do shopping. Essa você vê o casal gesticulando muito. Muito mais tempo quero necessário a quem faz uma mera interpretação.
          Lembramos que calunia pode ser prática por qualquer meio, verbal, escrito… ofende aponta objetiva. A injúria subjetiva da vítima.

        • Muito bem relatado, foi exatamente isso que ocorreu, ele se aproveitou que o casal estava, nervoso com o fato de terem furtado a sua bicicleta, poucos instante ali perto, e nesse momento vê uma igual logo ali, para e pergunta se essa bicicleta não seria a deles, visto que não era, foram humildes, reconheceram o erro, de certa forma, e pediram desculpas no mesmo momento, sem xingamentos ou acusações, principalmente sem nenhum racismo, enquanto o outro, se aproveitou disso, ainda ofende moralmente e xingou, cometeu injuria contra o casal, e em tom ameaçador. Quem vais ressarcir o casal pelo prejuízo, social e financeiro que estão passando ?

  5. Kkkkkkk que vergonha alheia!!!
    O imbecilóide quis lacrar,e se lascou!!!Receptação de roubo é CRIME!!!!!
    Ou é muuuuuito burro,ou confiou no coitadinho,e achou q nunca seria pego!!
    Comprar uma bicicleta q vale 12 mil,e pagou 3 sem nota fiscal,e ainda achou q não se tratava de roubo?VAGABUUUUUUNDO!!!!!!

  6. Mas é evidente q ele não tinha ideia q a bike era roubada se não não tinha ido na delegacia prestar queixa contra o casal racista.
    Mas como a polícia é racista arrisca o rapaz q foi vítima de racismo ser preso pelo roubo da bicicleta q ele comprou sem saber q era roubada.
    Com certeza ele comprou através de anuncio no OLX.
    Tem q investigar na verdade quem vendeu pra ele.
    E o OLX tem muitos golpes.
    Eu já quase cai em um mas como sou mineiro sou muito desconfiado percebi q tinha algo de errado e não cai.

    • Não se pode eximir um receptador da culpa.
      Aparentemente pode ter agido de boa fé.
      Mas essa é verificável pelas circunstâncias.
      Numa compra de valor tão baixo e sem se cercar de cuidados, a tal boa fé vai parar no espaço.
      Exemplo aquele que pega o produto com características tais que o valor do negócio apresenta clara distorção do mercado, e ainda, dependendo do bem, sequer apura ou mostra preocupação em certas questões.
      Imagina o interessado na compra de um carro, moto ou bike elétrica. O vendedor apresenta o produto em estado perfeito. Quase zero. Mas não vem com manual(opa?), chave não é original(opa?), não tem nota fiscal(opa?) e o valor tão baixo comparando com outros anúncios(opa?) exigiu dinheiro na mão, ao invés de operação bancária(opa?)
      Questões que no mínimo levantam suspeita exigível ao homem médio.

    • Pela sua tese, então, deveria ser abolido o crime de receptação… só o autor do roubo ou do furto é preso. Se esquecendo que esse mercado é alimentado justo por quem compra.

    • O casal não é racista.

      Ele foi na delegacia por causa da impunidade que existe neste país e pensando também em ganhar algum dinheiro.

      Porque o cidadão NEGRO sabe que no Brasil existe a indústria de danos morais.

      Ele não imaginava que o verdadeiro dono da bicicleta iria aparecer e que nem a polícia iria investigar.

      • Não consigo entender como tem gente que não exerga que existe racismo estrutural… Pelo contrário. Ainda tem a cara de pau de defender o absurdo!!!
        Tudo está na forma. A forma como se aborda.
        A ação (do casal) de tentar abrir o cadeado com a própria chave…

        • Não vi racismo no casal. Vi o rapaz, este sim, ofendendo e chamando o casal de “playboyzada”, rotulando-os sem nem ao menos conhecer eles.

          • A questão é que você e eu limitamos a um trecho da cena que foi filmado pela suposta vítima em momento posterior ao que teria sido a tentativa de abrir o cadeado da bike. Mas o tempo total pelas cenas do shopping é muito maior do que seria uma mera sondagem…
            E se tivessem conseguido? Por acaso todas as trancas tem segredo diferente? Nenhuma repetida que poderia ocasionar coincidência?

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui