Um dos serviços que conquistam diariamente mais cariocas e que já é parte da paisagem e da rotina da cidade, é o Bike Rio, sistema de bikes compartilhadas patrocinado pelo Itaú Unibanco e realizado pela Tembici, líder em tecnologia para micromobilidade na América Latina. A empresa anuncia o início do processo de expansão do projeto que contempla 50 novas estações distribuídas pelo Rio de Janeiro até o segundo semestre deste ano.

Além de Grajaú e São Cristóvão, Catumbi e Andaraí estão na lista.

A primeira fase começou em 25/03, com 14 estações implantadas, entre elas a primeira no bairro do Grajaú, na rua Marechal Jofre, próxima ao grupamento dos Bombeiros, que acaba de receber 15 bicicletas.

“O morador do Grajaú sempre questionou porque um bairro com características tão adequadas ao uso das bikes, não estava entre os contemplados pelo projeto. Ter as estações aqui era um desejo enorme, solicitado por diversas frentes, inúmeras vezes. Estávamos ansiosos para ter as bikes no bairro, certos de que beneficiarão muito a locomoção dos moradores, além de proporcionar melhor qualidade de vida e estimular a prática esportiva”, afirmou o subprefeito da Grande Tijuca Wagner Coe, que em uma das primeiras ações de sua gestão formalizou o pedido, atendendo à Associação de moradores do Grajaú.

O bairro receberá ainda 3 estações, com aproximadamente 10 bicicletas cada, na praça Edmundo Rego, na praça Malvino Reis e na praca Professor Francisco D’Aurea, próximo ao n° 117 da rua Uberaba, que serão instalados até o final de maio.

“Estamos expandindo o Bike Rio para bairros novos, inclusive, na zona norte, como São Cristóvão, Andaraí, Grajaú, Catumbi. Em estudos que fizemos, concluímos que são localizações importantes para complementar a mobilidade urbana na região. São Cristóvão, por exemplo, abriga grande concentração de trabalhadores e residências, além de atender a integração com transporte público”, explica Marcella Bordallo, gerente regional da Tembici.

As laranjinhas vêm contribuindo desde 2011 com o trânsito da cidade e melhores condições de deslocamento das pessoas, levando o Rio de Janeiro para o caminho das cidades inteligentes. “O Bike Rio registrou no último ano que 73% das viagens foram feitas em dias de semana, o que só comprova que cada vez mais pessoas estão utilizando a bike como meio de transporte que, além de contribuir com o afastamento social durante a pandemia, é um modal sustentável, econômico e prático. De abril de 2020 a janeiro de 2021, houve um aumento de mais de 500% de novos usuários”, complementa Bordallo.

A maior adesão de bikes impacta significativamente no planeta, somente em 2020, no Rio, mais de 2 mil toneladas de CO² foram economizadas, sendo que a cada tonelada emitida, é necessário o plantio de 7,14 árvores para que o planeta não sofra os danos causados por esta emissão. Ao longo do ano, foram mais de 30 milhões de quilômetros percorridos, distância suficiente para dar 750 voltas na Terra.

“Expandir as estações nesse momento e fomentar o uso da bicicleta, como meio de transporte seguro e individual, torna o projeto ainda mais importante e grandioso. O Bike Rio já faz parte do dia a dia dos cariocas e a abertura de 50 novas estações só comprova o sucesso dessa iniciativa”, comenta Eduardo Paes, Prefeito da cidade do Rio de Janeiro

1 COMENTÁRIO

  1. Senhor Prefeito, resido em Campo Grande e a população está precisando de pistas para caminhadas e ciclovias decentes não as ciclovias construídas pelo senhor em mandato anterior. Depois da pandemia com a volta ao normal voltarei a cobrar isso.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui